Cristian3! Brasil vence a Jamaica na estreia da Copa do Mundo

Sem Marta, camisa 11 marca três gols e garante a vitória brasileira, que dá tranquilidade para a competição

Foto: Fifa

As estreias podem ser consideradas como cartão de visita. A seleção brasileira nunca havia perdido no primeiro jogo dos Mundiais. Era o passado confrontando o presente. Antes do Mundial, o Brasil vinha de nove derrotas consecutivas e na preparação perdeu algumas jogadoras por lesão, consequência de uma estrutura ainda frágil.

O Brasil vinha sem Marta. E a ausência da melhor jogadora do mundo, deu confiança para a Jamaica, a primeira seleção feminina caribenha a competir em um Mundial. As jamaicanas, mesmo estreantes, vinha de uma proeza de se classificar em terceiro na Concacaf. As Reaggae Girlz só perderam para os Estados Unidos e para o Canadá. Fizeram 53 gols, 19 da sua joia Khadija Bunny Shaw, e tomaram apenas 14.

O técnico Hue Menzies adotou o 4-3-3, confiando na velocidade e condição física para abrir as defesas rivais, principalmente pelos lados. O talento das jamaicanas, principalmente de Shaw, se destacava mais do que ser a menos favorita do grupo C, que além do Brasil, tem a fortíssima Austrália e a crescente Itália.

Mas quem acompanha a seleção brasileira, sabe que tiveram outras oportunidades que não podia contar com Marta. Não é só no masculino que temos talentos individuais, mesmo com as alterações táticas do técnico Vadão em todos os jogos, a seleção brasileira é excelente tecnicamente e ainda tem Cristiane, Andressa, Formiga, Tamires, Mônica, um esqueleto que garante qualidade na seleção.

O Brasil, que vive um momento particular no futebol feminino, tinha que aproveitar esse Mundial e já começou pressionando a Jamaica. Mesmo com falta de entrosamento, pelas mudanças táticas do Vadão, a seleção brasileira vinha com um 4-2-4, marcou as laterais jamaicana e contava com Andressa na criação.

Aos sete minutos, Debinha avançou livre e tentou driblar a goleira Schneider. A camisa 1 conseguiu desviar a bola com a mão, e a atacante do Brasil perdeu a bola. Na sequência, Debinha ainda tentou o chute para o gol, mas bateu fraco. A Jamaica teve a sua primeira chance aos 13 minutos, com Shaw. A atacante jamaicana recebeu na esquerda, aonde caia mais, abriu para o pé direito e chutou rasteiro, para defesa de Bárbara.

O Brasil pressionava e quando a bola caiu para a artilheira, o resultado não poderia ser diferente, 1 a 0. Aos 15 minutos, Andressa recebeu na esquerda e cruzou na medida certa para Cristiane. A camisa 11 subiu mais do que a defesa jamaicana e marcou um belo gol para abrir o placar da partida. Uma curiosidade, com esse gol, Cristiane se tornava a segunda maior artilheira, com oito gols, deixando para trás a mais importante jogadora, Sissi.

O domínio era brasileiro. As Reggae Girlz tiveram algumas chances para empatar, mas pecavam na hora de finalizar. O Brasil teve chance de ampliar aos 36 minutos, quando foi marcado um pênalti para a seleção brasileira. Andressa foi para a cobrança, bateu mal e a goleira Schneider defendeu.

No segundo tempo, a seleção brasileira continuou comandando a partida. E aos quatro minutos, mais uma vez Cristiane. Após chutão da goleira da Jamaica, Formiga escorou no meio, e a sobra caiu nos pés de Debinha. A camisa 9 fez boa jogada e abriu para Andressa Alves, que cruzou na pequena área. A bola sobrou no segundo poste para Cristiane, livre, escorar para o gol! Plummer ainda tentou salvar, mas a bola cruzou a linha, 2 a 0.

Mesmo com o resultado negativo, as Reggae Girlz não desanimaram e apostavam e muito nas suas principais características. Aos 15 minutos, após cruzamento pela direita, Bárbara subiu mal e não conseguiu alcançar a bola. Swaby chegou livre na pequena área, mas conseguiu perder o gol, mandando a bola para fora.

Dois minutos depois, Cristiane não decepcionou. A camisa 11 recebeu na entrada da área e tentou avançar, mas foi derrubada. Falta para o Brasil. A própria atacante foi para a cobrança de falta e soltou uma bomba no canto da goleira Schneider, 3 a 0.

A seleção brasileira ainda perdeu algumas chances de ampliar, mas com o 3 a 0 concretizado não fez falta. E quem esperava pelo brilho de Shaw, foi a experiente atacante brasileira, Cristiane, que apareceu com um hat-trick. A camisa 11 deixou um bom cartão de visita, mostrando que mesmo com algumas dificuldades e sem Marta, a seleção brasileira tem mulheres com excelente qualidade técnica. O primeiro jogo foi de Cristiane, a líder e artilheira.