Chega de saudade! De forma invicta, Brasil conquista a Copa América

Com gols de Everton, Gabriel Jesus e Richarlison, seleção brasileira vence o Peru e conquista o nono título na competição

Nesse domingo (7), Brasil e Peru decidiram o título da Copa América 2019, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro. O duelo, que teve polêmicas com o VAR, terminou com a vitória brasileira por 3 a 1, com gols de Everton Cebolinha, Gabriel Jesus e Richarlison. Paolo Guerrero marcou para os peruanos, sendo o único que fez gol no Brasil na competição sul-americana.

Uma certeza, ninguém esperava que a final da Copa América fosse Brasil e Peru. Os favoritos eram Uruguai, Colômbia e Chile, mas os três caíram para o time do Gareca. As duas seleções já haviam se enfrentado na fase de grupos, com a goleada de 5 a 0 do time do Tite. Os peruanos aprenderam com o placar elástico e mudou o seu estilo de jogo para enfrentar as favoritas. Deu certo, sendo a surpresa da final.

Na primeira etapa, o Brasil tinha a maior posse de bola, tentava sair, mas sofria com a forte marcação peruana. Mesmo com muitas trocas de passes, a seleção brasileira não encontrava espaço. Mas aos 14 minutos, apareceu quem brilhou e mudou o time brasileiro, Everton Cebolinha. A jogada começou com o lançamento de Daniel Alves para Gabriel Jesus que cruzou na medida para Everton. O atacante, livre, chegou chutando de primeira e abriu o placar no Maracanã. 1 a 0 Brasil.

O Brasil ficou tocando a bola e girando para encontrar espaços. O destaque ficava para a dobradinha Daniel e Gabriel, lançamento e deslocamento. O Peru arriscava jogadas de ataque, até que aos 40 minutos, Cueva tabelou com Flores e, na tentativa de devolver a bola, bate no braço de Thiago Silva. Pênalti para o Peru. Guerrero foi para a bola e deslocou o goleiro Alisson para marcar o primeiro gol contra a seleção brasileira. 1 a 1.

Mas a alegria peruana durou até os acréscimos. Aos 47, Firmino roubou a bola no lado direito, que ficou para Arthur acionar Gabriel Jesus. O atacante dominou e chutou no canto do goleiro Gallese, 2 a 1. A vantagem brasileira para o intervalo era tudo o que o Peru não queria. Guerrero, líder da equipe, sabia que a situação dificultava as chances para os peruanos.

No segundo tempo, a superioridade brasileira continuou. A equipe de Ricardo Gareca contava com a sua organização tática e superação. Aos 24 minutos, a seleção brasileira perdeu seu camisa 9, que fazia uma excelente partida. Gabriel Jesus disputou bola no alto com Zamorano e recebeu o segundo amarelo ao derrubar o jogador peruano. Uma expulsão discutível.

Sem sua referência, a seleção brasileira ficou na defensiva, apostando na qualidade individual dos seus jogadores. Gareca apostou todas a fichas e deixou o time ofensivo. Mas aos 41 minutos, um pênalti foi marcado para o Brasil, um lance que aumenta ainda mais as discussões sobre a arbitragem. Richarlison foi para a cobrança e concretizou o título da seleção na Copa América.

A partida passou de mão em mão. A experiência foi essencial para a nona conquista da seleção brasileira da Copa América, que fica marcada por muitas polêmicas e um pé atrás com o futebol sul americano. O que fica para o Brasil é que se livrou de alguns fantasmas, decisão por pênaltis contra o Paraguai e uma semifinal no Mineirão, e fica algumas incertezas para o seu futuro.