Cavalo rebate postagens, cobra evolução de Bruno Moraes e elogia Wellington Bruno

Treinador não concorda que atacante e meia estejam 100%, reforça que ambos só serão escalados quando fizerem por merecer em campo e novamente deixou ambos fora da lista de relacionados

Foto: Raul Ramos / Agência Botafogo

“Tem muita gente na frente deles e não vejo nenhum deles 100%”. Foi dessa maneira que o técnico Roberto Cavalo rebateu as manifestações feitas pelo atacante Bruno Moraes e o meia Wellington Bruno em suas contas pessoais no Instagram. Mais enfático, Bruno Moraes postou “As opiniões de um treinador nunca vão me deixar para baixo e tirar meu valor! Trabalho duro, fé e deixar nas mãos de Deus, que portas maravilhosas irão se abrir!”. Já Wellington Bruno escreveu “Continuar trabalhando. Que Deus tem coisas boas”. Ambos ainda escreveram o termo 100% para mostrarem que estão aptos a atuar pelo Tricolor.

As postagens polêmicas foram feitas dias após a entrevista coletiva do técnico Roberto Cavalo antes da partida contra o Vila Nova-GO. Questionado sobre a intenção do comandante de aproveitar a dupla após eles terem sido liberados para os treinamentos, Cavalo afirmou que eles ainda tinham muito que evoluir, tinham outros atletas na frente deles e não teriam condição de serem ainda relacionados para voltarem a atuar pelo Tricolor.

Nesta quinta-feira (23), o técnico do Pantera voltou a falar sobre o caso dos dois atletas. Porém, o comandante abordou com mais detalhes sobre como está vendo o atual momento de Bruno Moraes. “O Bruno é um jogador que tem mercado grande no Brasil, uma história no Botafogo, mas comigo ele jogou dois jogos entrando contra o Bragantino e o Mirassol por pouco tempo. Ele passou por uma lesão, artroscopia, e da maneira como foi digo que conheço um pouco de futebol e não vejo ele 100% para participar de uma partida de 90 minutos com a intensidade que a torcida do Botafogo quer e exige. Também estou aguardando a volta dele o mais rápido possível, mas não vai ser na imprensa que ele vai se escalar, vai ser dentro do campo”, declarou Cavalo.

O treinador botafoguense garante que pretende contar com o General, mas cobra maior evolução do jogador. “Ele é um jogador que tem um dos salários mais altos, então ele tem que fazer a diferença e estou aguardando isso. Tenho certeza que ele pode fazer, mas nesse momento ele tem que respeitar os amigos que estão na frente dele e dentro de campo ele ainda não está do jeito que eu gosto. Se ele estiver 100% como ele falou, acho que nesse 100% comigo ele não pode jogar. Ele precisa trabalhar mais, buscar o seu melhor para voltar a ser aquele Bruno que foi ídolo do Botafogo e um cara que hoje todo mundo no mercado quer e corre atrás. Então, não dá para aceitar o Bruno realmente não jogando no Botafogo e ele tem que brigar pela posição.”

Cavalo lembrou que atualmente o elenco está bem servido para a posição de centroavante com as opções de Rafael Costa e Henan, além do próprio Bruno Moraes. Por outro lado, o General também terá que concorrer a partir de agora com um jovem oriundo das categorias de base. “Vi um centroavante canhoto na base, um moreno alto, muito batalhador, chamado Guilherme e ele me chamou a atenção. Hoje, centroavante com essas características é difícil de encontrar no mercado, então ele vai também brigar por posição assim como o Bruno”, reforçou Cavalo.

Sobre Wellington Bruno, o treinador mostrou um prognóstico mais otimista para o armador. “O Wellington tem subido de produção, está andando melhor, e gostei do treino dele contra o time júnior. Ele é um jogador que tem uma qualidade de passe acima da média, um jogador que pensa antes, coloca os companheiros em melhor situação. Ele já está pegando um perfil de um atleta com mais disposição, mais de dinâmica e isso ajuda. Do jeito que ele está treinando, logo ele terá a oportunidade dele.”

Wellington Bruno e Bruno Moraes não foram relacionados para integrarem a delegação do Botafogo que partiu de Ribeirão Preto com destino a Ponta Grossa-PR. O Tricolor encara o Operário-PR neste sábado (23), às 19h, no Estádio Germano Krüger.