Unesp adia segunda fase do vestibular 2021

Prova aconteceria neste domingo; aumento de casos e cidades na zona vermelha fez com que medida fosse tomada

Unesp Bauru - Foto: Divulgação

Por conta do aumento dos casos de Covid-19 e da presença de novas cepas do coronavírus em várias cidades do interior, a Universidade Estadual Paulista (Unesp) e a Fundação Vunesp decidiram adiar a aplicação da prova da segunda fase do vestibular da instituição. A avaliação estava marcada para domingo (28). . A nova data ainda não foi definida.

A decisão ocorreu depois da manutenção de uma série de cidades, entre elas Araraquara, São Carlos, Bauru e Presidente Prudente, entre outras, na zona vermelha do Plano São Paulo, mais restritiva. Como os estudantes dessas regiões não poderiam fazer a prova, teriam que ser enviados a outras cidades, o que acabou inviabilizando a aplicação da prova.

“Considerando as dificuldades geradas pelo agravamento da pandemia de Covid-19, especialmente em cidades com impossibilidade de aplicação de prova, comunicam o adiamento da aplicação da segunda fase do Vestibular Unesp 2021”, diz a instituição, em nota.

A universidade, entretanto, informou que provas de habilidades específicas para os cursos de Arquitetura e Urbanismo, Artes Visuais e Design, com provas realizadas em Bauru e Artes Cênicas, Arte-Teatro, Artes Visuais, Música Bacharelado e Música Licenciatura, no campus de São Paulo, serão mantidas.

A primeira fase da prova foi realizada nos dias 30 e 31 de janeiro, com a presença de 67.396 candidatos entre os mais de 80 mil inscritos.

Araraquara

Na região, a polêmica sobre o assunto foi iniciada com a informação de que alunos de Araraquara, primeira cidade do interior do Estado a identificar a presença da cepa de Manaus do coronavírus, iria enviar cerca de 1,5 mil estudantes para fazer as provas em Ribeirão Preto.

O prefeito Duarte Nogueira (PSDB) chegou a declarar, em coletiva de imprensa, que não receberia os alunos na cidade. “Com todo o nosso respeito a esses alunos, imagina se fosse Ribeirão Preto que estivesse em lockdown e Araraquara não. Eles não iriam ficar preocupados como nós estamos? Claro que iriam”, questionou Nogueira na ocasião.

Nenhuma postagem para exibir