Secretaria de Educação disponibiliza consulta sobre currículo da rede municipal de ensino

Proposta pode ser acessada pela rede mundial de computadores e irá direcionar caminhos da pasta na cidade

Alunos da rede municipal durante aula - Foto: F.L. Piton

A Secretaria da Educação de Ribeirão Preto disponibilizou para consulta pública o novo currículo da rede municipal de ensino. O documento pode ser acessado no no portal da pasta, foi reformulado com base nas propostas da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e pode receber colaborações. 

“O novo currículo foi elaborado com uma perspectiva integradora e interdisciplinar de todas as áreas, com foco na educação inclusiva, e será uma diretriz para o Ensino Infantil, Ensino Fundamental e Educação de Jovens e Adultos (EJA). Em setembro, ele será encaminhado para aprovação do Conselho Municipal de Educação para implantação no ano letivo de 2020”, afirma o chefe da pasta, Felipe Elias Miguel.

Miguel ressalta que o novo currículo também irá direcionar  as escolas conveniadas, os sete novos Centro de Educação Infantil (CEI) que serão administrados por Organizações Sociais. As escolas particulares de educação infantil podem utilizar o material por adesão, visto que são fiscalizadas pela Secretaria Municipal da Educação.

Reformulação

Ainda de acordo com o secretário, a reformulação considerou os documentos norteadores da rede, construídos anteriormente, e contou com a efetiva participação dos Coordenadores Pedagógicos da Secretaria, dos Professores e Gestores na organização dos quadros curriculares.

“Esse documento é fruto da necessidade de atualizarmos os documentos norteadores de nossa rede (Parâmetros Curriculares da Educação Infantil, Referencial Curricular – Anos Iniciais e Referencial Curricular – Anos Finais) à Base Nacional Comum Curricular, documento normativo publicado ao final de 2017 pelo Governo Federal, e que propõe o regime de colaboração com as Redes Estaduais. Em Ribeirão Preto, adotamos o regime de colaboração com o Estado de São Paulo”, afirmou a coordenadora do CAAF, Marisa Stela Furlan Ennes.

Tempo

O documento em questão começou a ser construído em 2018, junto aos Professores, Coordenadores e Gestores da Rede Municipal de Ensino, com a participação, também, das Escolas Conveniadas, por meio de consultas virtuais e de encontros presenciais. “É importante que os pais e os próprios alunos analisem o novo currículo e nos enviem suas sugestões. Os conselhos e professores também podem consultar o material”, conclui Miguel.