Projeto de Ribeirão Preto leva preparação para o Enem a 1,8 mil detentos no Estado de São Paulo

Exame Nacional do Ensino Médio para Pessoas Privadas de Liberdade - Foto: Divulgação

Nos próximos dois domingos, 9 e 16 de janeiro, mais de 17 mil pessoas detidas no Estado de São Paulo participarão do Enem PPL (Exame Nacional do Ensino Médio para Pessoas Privadas de Liberdade). Deste número, 1.808 detentos se prepararam, desde novembro do ano passado, com as vídeo aulas dos professores do Nau Vestibular, curso preparatório oferecido gratuitamente a alunos de baixa renda em Ribeirão Preto/SP.

O projeto Recomeço é uma parceria da Secretaria de Administração Penitenciária com o Instituto SEB, por meio do programa Mentoria Ribeirão. A iniciativa surgiu em 2019, com um curso preparatório ao Enem no Centro de Progressão Penitenciária de Jardinópolis. No ano seguinte, foi expandido para 39 unidades prisionais e, na edição 2021, chegou a 46 unidades em diversas regiões do Estado. Ao todo, 3.338 pessoas já se prepararam para os exames graças ao projeto.

“Nossa intenção é oferecer a estas pessoas a oportunidade de participar de um processo transformador por meio da educação. Elas podem vislumbrar novas alternativas de vida ao sair da prisão, o que vai impactar não só a ele, mas também sua família e toda a sociedade”, avalia o gestor do programa Mentoria Ribeirão, Dirceu Chrysostomo.

Com 100 horas/aula, o curso preparatório é acompanhado por listas de exercícios e propostas de redação. São contempladas as quatro áreas do conhecimento que são objeto da prova do Enem: Ciências Humanas e suas Tecnologias; Ciências da Natureza e suas Tecnologias; Linguagens, Códigos e suas Tecnologias; e Matemática e suas Tecnologias. “Muitas vezes, o detento é a primeira pessoa da família a ter esta oportunidade de integração social por meio do estudo, e isso serve até mesmo de motivação para uma transformação familiar”, analisa o professor José Tadeu Terra, coordenador do Nau Vestibular.

Cada unidade prisional participante do projeto Recomeço recebe um kit com as videoaulas e demais materiais didáticos digitais, como apostilas e cadernos de exercícios. Cabe a um tutor designado pela direção da unidade, conduzir as aulas ao longo de um período de 25 dias. “Nesta edição a novidade é a participação da Fundação Prof. Dr. Manoel Pedro Pimentel – Funap, com a seleção e contratação de monitores presos de apoio à educação para atuarem como facilitadores das ações do curso preparatório nas salas de aula das unidades participantes do projeto, podendo gerar remição de pena e remuneração pelas atividades desenvolvidas”, explica Diego Ferracini Lacerda, Diretor Técnico III do Grupo de Capacitação, Aperfeiçoamento e Empregabilidade da Coordenadoria de Reintegração Social e Cidadania da Secretaria da Administração Penitenciária.

“Essa iniciativa demonstra-se de grande valia às pessoas privadas de liberdade. Trata-se de uma oportunidade para o aprendizado, contribuindo diretamente para o aperfeiçoamento e elevação de escolaridade das pessoas em privação de liberdade”, completa o Diretor Adjunto de Atendimento e Promoção Humana da Funap, Marcos de Godoy.

Nenhuma postagem para exibir