Educação 4.0: inteligência artificial, robôs e tecnologia que mudam a forma de aprender

Escolas se adaptam para cumprir as diretrizes da Base Nacional Comum Curricular; veja como a tecnologia está sendo utilizada para revolucionar a educação

Linguagem computacional, a Internet das Coisas, a Inteligência Artificial, os robôs e muitas outras tecnologias já fazem parte do cotidiano e vêm revolucionando a sociedade. Nesse sentido, já é realidade a chamada Educação 4.0, que muda a forma como os seres humanos absorvem conhecimento. E as escolas já correm contra o tempo para implementar essas mudanças, previstas inclusive na Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

Continua depois da publicidade

De acordo com a pedagoga Maria Helena Moreira, doutora em Educação pela Unesp (Universidade Estadual Paulista) de Araraquara e pós-doutoranda em Educação pela Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul, essa nova realidade é contemplada na Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e integra o núcleo de Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

“A nova BNCC já foi escrita nesta perspectiva de estimular o pensamento crítico. Estamos na Era da Educação, na qual o aluno tem acesso a qualquer informação e que por isso não faz mais sentido a escola ser só transmissora de informações e conhecimentos. Hoje, está em voga que o aluno busque a informação e, a partir dela, crie alternativas usando a tecnologia a seu favor”, comenta Maria Helena, fundamentada nas orientações da BNCC. “Esperamos que o aluno passe por um processo de criação e pensamento crítico para buscar novas soluções para problemas complexos. Por isso, as escolas precisam implementar o quanto antes a Educação 4.0”, diz a pedagoga.

Estudos, como o do The Future of Jobs: Employment, Skills and Workforce Strategy for the Fourth Industrial Revolution (traduzindo para o português como “O futuro dos empregos: empregabilidade, habilidades e estratégia da força de trabalho para a quarta revolução industrial”) e do Fórum Econômico Mundial e UNESCO, exemplificaram competências do mundo contemporâneo. Criatividade, tomada rápida de decisões, comunicação, fluência digital e pensamento crítico são só algumas das competências esperadas.

Mudança

O Mundo4D, startup do setor educacional acelerada pela Pluris, ligada ao Instituto SEB, braço de investimento social do Grupo SEB, ajuda, desde 2017, as escolas a implementarem a Educação 4.0. “Nosso objetivo é que a escola consiga se apropriar da metodologia e das práticas pedagógicas para levar a tecnologia para dentro de sala de aula de uma forma que gere aprendizado”, explica Fernanda Getschko, diretora da empresa, especializada em fornecer soluções de tecnologia com usos na Educação.

Segundo Fernanda, o desenvolvimento de novas formas de uso da tecnologia é uma tendência na Educação 4.0. “A Educação 4.0 não é uma metodologia ou alguma coisa que as escolas precisam aplicar. Ela é parte de um novo contexto global que traz impactos reais para educação e do qual a sociedade não tem como fugir. Assim, há de se entender que o mundo mudou e, a partir disso, há uma nova necessidade educacional”, explica.

O Mundo4D é uma das iniciativas apoiadas pela Pluris, que fomenta o desenvolvimento de negócios. “Estamos inseridos no contexto educacional e ficamos extremamente felizes em poder contribuir com projetos inovadores como o Mundo4D”, diz Ricardo Agostinho, CEO da Pluris.

Conceito

De acordo com Maria Helena, essa mudança baseia-se no conceito de “Learning by Doing”, que em português significa “aprender fazendo”. “É uma resposta aos questionamentos de professores e gestores da área, que se perguntam quando a escola vai se adaptar à realidade do mundo digital para manter o interesse dos alunos”.

Apesar da mudança, entretanto, Fernanda afirma que a educação brasileira ainda está presa a paradigmas do passado e, apesar de vivenciarmos a Educação 4.0, muitas escolas estão presas aos modelos tradicionais, caracterizados pelo professor como detentor do conhecimento e do aluno em um papel passivo no processo de aprendizagem. “No Brasil, as escolas estão se preparando, afinal são mais de cem mil escolas e de diferentes perfis. Esse processo tem uma série de desafios, tanto para os gestores como educadores, pois esta transformação contempla muitos aspectos, como conteúdo, formato e infraestrutura.”, diz Fernanda.

Ainda segundo ela, para o gestor, o desafio é como dar os primeiros passos a fim de conseguir uma transformação efetiva. Os educadores têm o desafio de mudar a forma como estão habituados a dar aula para se adaptarem às novas práticas e ferramentas utilizadas no processo de aprendizagem.

O Que é a BNCC?

A Base Nacional Comum Curricular é um documento normativo que define o conjunto de aprendizagens essenciais que todos os alunos devem desenvolver ao longo das etapas e modalidades da Educação Básica, que compreende da Educação Infantil ao Ensino Médio. Seu principal objetivo é ser a balizadora da qualidade da educação no País por meio do estabelecimento de um patamar de aprendizagem e desenvolvimento a que todos os alunos têm direito.

O que são os ODS?

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) são uma agenda mundial adotada durante a Cúpula das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável em setembro de 2015 e é composta por 17 objetivos e 169 metas a serem atingidos até 2030. Os 17 objetivos baseiam-se nos sucessos dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio.