Supera Parque é um dos melhores parques tecnológicos do país

Parque foi reconhecido pelos prêmios TOP 100 Open Startups 2020 e SciBiz USP 2020, ambos divulgados em novembro; três startups assistidas também estão entre as melhores do Brasil

Supera Parque - Foto: Divulgação
Continua depois da publicidade

O Supera Parque de Inovação e Tecnologia de Ribeirão Preto foi considerado como um dos melhores agentes do ecossistema para startups do país e como um dos melhores parques tecnológicos do Brasil. As premiações foram concebidas, respectivamente, pelo Ranking 100 Open Startups e pela SciBiz USP 2020, ambas no mês de novembro.

Para Eduardo Cicconi, gerente do Supera Parque, as premiações devem fortalecer ainda mais o ecossistema empreendedor da região. “Esses prêmios são fruto de um trabalho em equipe e de muita dedicação com projetos que envolvem não só os incubados, mas toda a comunidade, gerando impacto positivo para toda a sociedade. Eles consolidam, também, Ribeirão Preto no radar de grandes empresas de todo o país como local potencial para o desenvolvimento de pesquisas e parcerias”, disse.

O primeiro prêmio foi idealizado pela 100 Open Startups na categoria TOP 20 Ecossistema, e é resultado de um processo anual que mede a atratividade das startups de forma objetiva, por meio das relações de inovação aberta registradas e validadas entre empresas e startups no ano, e a visibilidade para os agentes do ecossistema com mais startups ranqueadas. O ranking classificou os 20 principais players do ecossistema de inovação.

Já o SciBiz Conference, sob coordenação da FEA USP, é um evento que une ciência e empreendedorismo – considerado a maior conferência de ciência e negócios da América Latina. Na terceira edição, o evento teve a missão de integrar pesquisadores, empreendedores e investidores, de forma a compartilhar conhecimentos, criar soluções e gerar oportunidades.

Incubadas

Além do Parque Tecnológico, três startups assistidas pela Supera Incubadora de Empresas também foram premiadas. A Carefy, Onkos e Glucogear integram a lista das 10 startups brasileiras mais atraentes para o mercado corporativo na área da saúde, de acordo com o Ranking das 100 Open Startups, divulgado dia 11 de novembro.

Yuri Matsumoto, CEO e sócio da GlucoGear – Foto: Divulgação

Yuri Matsumoto, CEO e sócio da GlucoGear, afirmou que ficou surpreso e animado por estar entre as TOP 10 da sua categoria. “Ficar entre as TOP 10 health techs no ranking da 100 Open é um reconhecimento importante sobre o potencial da nossa empresa e de nossas soluções para trazer uma grande inovação no tratamento do Diabetes. O prêmio não seria possível sem o trabalho árduo e apaixonado de cada membro do time. Além disso, a incubação no Supera Parque nos proporciona um ecossistema e recursos preciosos para o estágio inicial de uma empresa que tem um sonho grande”.

Para o CEO da Onkos, Marcos Santos, este resultado é fruto de um trabalho sério e de cooperação entre entidades. ” Este é o terceiro ano que a Onkos figura neste ranking. Para nós que sofremos muito com a pandemia, manter o crescimento e o relacionamento com o mercado corporativo foi especialmente desafiador. É um reconhecimento muito grande e uma vitrine muito importante para que o mercado veja como estamos impactando de forma real a vida dos pacientes e economizando recursos para o sistema de Saúde. Estar em um ecossistema como o Supera foi decisivo para manter o crescimento acelerado mesmo em meio a tamanha adversidade”, explica.

Marcelo Santos, CEO e Sócio da Carefy, também destacou o fato de que essa premiação abre portas e mostra que a empresa segue o rumo certo. “Estar pelo segundo ano seguido entre as 10 health techs mais atraentes para o mercado corporativo só nos dá mais certeza que estamos no caminho certo e que a Carefy está conseguindo fazer a diferença na saúde junto a cada um de seus clientes!”, finaliza.

Nenhuma postagem para exibir