Retorno ao trabalho presencial exige adaptação das empresas e profissionais, alerta psicóloga

Empresas precisam adotar ações de acolhimento que contribuam para que os profissionais se sintam amparados

Volta ao trabalho exige cuidados - Foto: Divulgação

A retomada das atividades após a flexibilização do isolamento social é um momento de adaptação para profissionais e empresas, após mais de seis meses em home office, forçada pela pandemia da Covid-19. O momento pede atenção em relação ao gerenciamento das emoções e do bem-estar mental dos profissionais, e exige que as empresas desenvolvam ações de acolhimento.

Para a especialista Thaís Alves, psicóloga e sócia da Core Psicologia, é um momento de cautela. “A retomada das atividades presenciais pode causar sentimentos como estresse, angústia, sentimento de inadequação e ansiedade por parte dos colaboradores, fazendo com que o estado emocional seja afetado. É importante que as empresas estejam prontas para trabalhar mais efetivamente a emoção nesse retorno”, diz.

A preocupação se justifica: de acordo com o Índice de Confiança realizado pela Robert Half, 38% dos profissionais empregados acreditam que a saúde mental e bem-estar pioraram durante pandemia. Outro levantamento, realizado em maio pelo Instituto Bem do Estar e pela NOZ Pesquisa e Inteligência com mais de 1.500 pessoas em todo o Brasil, mostrou que 53% apresentavam alterações de humor durante o isolamento, sendo que as impressões mais citadas foram medo acima do normal (71%), preocupação (70%), desânimo (56%) e sensação de que algo muito ruim pode acontecer (51%).

Adaptações

Thaís explica que, agora, os profissionais precisarão se adaptar a um “novo normal” no local de trabalho. “A volta pode ser até mais desafiadora. Enquanto alguns vivenciam o medo do contágio pelo coronavírus, da demissão, do acúmulo de tarefas, além de outras dificuldades. É uma situação bastante complexa que necessita de um olhar mais atento, principalmente, por parte dos gestores das organizações. Sempre é bom lembrar que a performance dos profissionais afeta diretamente nos resultados e no lucro das companhias”, destaca.

A especialista sugere, como dica, mais ações da psicologia organização, como: a implementação de avaliações de sintomas emocionais e de ações eficazes para reduzir ou prevenir eventuais problemas. “Não se pode negligenciar esse aspecto. É um novo momento, depois de tanto tempo longe. Assim, assegurar o bem-estar mental de todos é essencial para o fluir bem tanto da equipe como da organização”, lembra.

Iniciativa

Thaís Alves é especialista em Psicologia Organizacional e do Trabalho – Foto: Divulgação

De acordo com Thaís Alves, é importante que as empresas contem com o apoio de profissionais de psicologia especializados em ambientes organizacionais. “A ajuda de profissionais é valiosa para a construção de estratégias que contribuam tanto para o acolhimento, quanto para o enfrentamento de possíveis problemas apresentados pelos colaboradores”, alerta.

Thaís Alves afirma que, além de interferir diretamente na produtividade do trabalhador, situações de estresse traumático ocasionado por situações como pandemia, podem desencadear outras doenças. “É fundamental que as pessoas que estão sentindo qualquer tipo de sintomas relacionado à pandemia contem com a compreensão de seus pares e encontrem apoio tanto no ambiente familiar quanto profissional. O atendimento psicológico e apoio profissional poderá devolver a qualidade de vida e fará total diferença na vida delas”, finaliza a empresária.

Nenhuma postagem para exibir