No início do ‘pior ano da história’, Ribeirão fecha mais de 5 mil vagas de trabalho em abril

Dados foram divulgados pelo Ministério da Economia; professor indica que economia local irá regredir mais de uma década

Comércio no Centro de Ribeirão Preto - Foto: Reprodução/Grupo Thathi de Comunicação

Ribeirão Preto fechou 5.038 vagas de emprego com carteira assinada no mês de abril. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia. Segundo especialista, os números devem traduzir o pior ano para a economia da cidade em toda a história.

Em abril, foram 3.577 contratações e 8.615 demissões na cidade. No acumulado de 2020, já são 34.941 demissões e 30.214 contratações com carteira assinada, um saldo de 4.727 postos de trabalho formais fechados.

Na comparação com o ano passado, a situação é ainda mais crítica. A cidade registrou, no ano passado, No mesmo período de 2019, foram 2.390 vagas criadas. 

Análise

De acordo com Adriel Branco, especialista em administração, a situação reflete uma tendência nacional. Ele acredita que a pandemia trará uma crise de empregos capaz de tornar o ano de 2020 o pior da história do Brasil, incluindo o ano de 1929, quando houve a quebra da bolsa de Noca Iorque.

“A economia do Brasil deve regredir mais de uma década. Será a pior crise da história e Ribeirão, que tem um perfil de prestadora de serviço, irá sofrer isso com ainda mais intensidade”, disse o professor.