Governo Doria reconhece quatro APLs em Ribeirão e cidade lidera no Estado

Região nordeste de São Paulo também lidera, com quase 20% dos APLs de São Paulo; setor produtivo ganha competitividade com reconhecimento

Supera Parque - Foto: Divulgação

O governo do Estado de São Paulo publicou o resultado do edital de recadastramento e reconhecimento dos Arranjos Produtivos Locais (APLs) paulistas. No total, são 57 APLs em todo o Estado, dos quais quatro têm como cidade-sede Ribeirão Preto. É, junto com Sorocaba, a cidade com mais arranjos do tipo anunciados pelo governo.

A lista contempla a Indústria da Saúde; de Sofware; e de Cervejas Artesanais – todos contam com a participação do Supera Parque de Inovação e Tecnologia na governança junto a outras organizações setoriais. A cidade ainda tem o APL Cultural de Ribeirão, que inclui coletivos culturais, ONGs e outros agentes de promoção de diversas manifestações artísticas.

Além dos quatro polos de Ribeirão, a região nordeste de São Paulo teve outros sete APLs reconhecidos, totalizando 11 arranjos produtivos. Isso representa quase 20% dos polos paulistas concentrados na região: Porto Ferreira e Tambaú, ambas na área de cerâmica; Barretos, na área da saúde; Jaboticabal (agronegócio); Sertãozinho (Metal Mecânico); e Franca (calçadista e cafeicultura).

Para Dalton Marques, gerente de Desenvolvimento do Supera Parque, o “reconhecimento dos arranjos mostra um fortalecimento das ações de estímulo ao desenvolvimento econômico na região metropolitana de Ribeirão Preto, a importância do trabalho em rede e da cooperação, não só entre empresas, mas também entre entidades”.

O que é

Pólo cervejeiro é um dos reconhecidos pelo governo – Foto: Divulgação

O APL é uma aglomeração de empresas, localizadas em um mesmo território, que apresentam especialização produtiva e mantêm vínculos de articulação, interação, cooperação e aprendizagem entre si e com outros atores locais, tais como: governo, associações empresariais, instituições de crédito, ensino e pesquisa. Um APL indica que aquela região é referência em produtos e serviços daquele setor.

Com o reconhecimento, um APL tem a possibilidade de participar de editais de fomento promovidos pela Secretaria de Desenvolvimento; acesso a linhas de crédito específicas (públicas ou privadas) para empresas inseridas em APLs; e a possibilidade de participação em editais e demais projetos promovidos por entidades parceiras.

“O reconhecimento dos APLs abre a possibilidade de pleitear novos projetos de apoio setorial junto a órgãos governamentais. Graças a esse reconhecimento de nossos APLs, foi possível, em anos passados, a implantação de Centro de Capacitação Profissional em Software, em parceria com o PISO, e de laboratórios do Supera Centro de Tecnologia, para atender a demandas de testes de indústrias de saúde”, destaca o gerente do Supera Parque.

Análise

Para o economista José Rita Moreira, a presença desses Arranjos mostra a diversidade econômica da região que, porém, mantém especialidades locais. “É uma somatória de fatores, mas o que podemos dizer com certeza é que a região de Ribeirão Preto é um grande polo de desenvolvimento econômico no Estado”, avalia.

“É necessário o fortalecimento de micro e pequenas empresas, com foco no desenvolvimento da Região Metropolitana de Ribeirão Preto. Para isso, a ACIRP trabalha com núcleos setoriais e associativismo, integrando as cadeias produtivas para seu melhor desempenho”, afirma Dorival Balbino, presidente da ACIRP, sobre a importância das APLs da Região Metropolitana de Ribeirão Preto.

O edital de recadastramento e reconhecimento foi lançado pela Secretaria de Desenvolvimento do Estado em dezembro de 2019 e tinha a divulgação prevista para abril de 2020, mas foi adiado em decorrência da pandemia do coronavírus. “O levantamento será realizado pelo Governo do Estado a cada dois anos, com objetivo de dinamizar as políticas setoriais e manter as bases de dados atualizadas”, enfatiza Marques.

Referência em Saúde, Software e Cervejas

Pesquisadora em Ribeirão: setor da saúde é destaque – Foto: Fiocruz

Dados da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), do governo federal (2018) indicam a presença de 280 estabelecimentos industriais de Saúde na Região Metropolitana de Ribeirão Preto, com mais de 6.800 postos de trabalho. Entre as ações coletivas empreendidas para desenvolvimento do setor, estão a participação conjunta em feiras comerciais, a promoção de encontros de formação e a oferta de serviços tecnológicos para solução de gargalos produtivos.

No setor de software, também segundo a RAIS, são mais de 400 empresas e 2,5 mil postos de trabalho na Região Metropolitana de Ribeirão. As ações coletivas compreendem cursos de formação de mão-de-obra, que já agregaram ao mercado em torno de 300 profissionais, e workshops de capacitação gerencial.

Já o setor cervejeiro tem profunda ligação com a história da industrialização da cidade. Na última década, as cervejarias artesanais ocuparam a cena local e já somam mais de dez estabelecimentos. Sete cervejarias fazem parte do Polo Cervejeiro, que inclui também a cidade de Sertãozinho. Promoção coletiva da marca, estímulo ao consumo consciente e eventos para o público cervejeiro estão entre as ações empreendidas pelo grupo. Em 2020, o IFSP-Sertãozinho passou a oferecer o primeiro curso técnico gratuito do Estado para formação de mão-de-obra para a indústria cervejeira.

Nenhuma postagem para exibir