Cursos de qualificação fazem a diferença no mercado de trabalho

O mercado de trabalho, que está cada vez mais competitivo, exige qualificação profissional e aperfeiçoamento daqueles que querem uma vaga

Instituto da Construção Civil, em Ribeirão Preto - Foto: Márcio Javaroni

Embora o desemprego ainda seja muito alto no Brasil (13 milhões de pessoas desocupadas segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE),  a construção civil vem registrando variações positivas. No acumulado dos seis primeiros meses de 2019, a variação é de +2,89%, equivalente a 65.727 postos de trabalho, dos quais cerca de 15 mil foram abertos em junho.

Na comparação com o mesmo período do ano passado, a variação é de +1,03% (23.463 postos de trabalho). Ao final de junho, o setor empregava 2.338.204 trabalhadores em todo o país. Os dados são de uma pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP).

O mercado de trabalho, que está cada vez mais competitivo, exige qualificação profissional e aperfeiçoamento daqueles que estão em busca de uma recolocação ou até mesmo para quem está empregado mas quer mudar de emprego ou ser promovido. É necessário expandir conhecimentos. As empresas buscam pessoas alinhadas às novas tendências dos mercados e dispostas a se manterem sempre atualizadas. Por isso, agregar conhecimentos e qualificações, podem fazer toda a diferença em um processo seletivo.

Exemplo

Foi o que fez o administrador de empresas com MBA em finanças, Jorge Eduardo de Melo. Ele buscou novos conhecimentos e qualificações quando surgiu uma vaga de trabalho diferente daquilo que já fazia, na empresa que trabalha, uma construtora. Após atuar por oito anos na área financeira e sem conhecer o básico de construção civil, decidiu expandir suas experiências para conquistar o cargo de responsável pelo Departamento de Qualidade da construtora. Para isso, ele teve que deixar o escritório e ir para o canteiro de obras.

“A empresa estava com essa oportunidade de trabalho que me interessou bastante, porém, não era minha área, nem pequenos reparos em casa eu sabia fazer e para esse cargo era necessário estar na obra e ter um contato direto com engenheiros e mestres de obra”, comenta Jorge Eduardo.

Menos tempo

Como fazer uma faculdade de engenharia levaria muito tempo e dinheiro, o administrador de empresas buscou um curso mais rápido que desse tempo de aprender e conquistar a vaga na empresa. Foi aí que ele se inscreveu no Curso de Práticas da Construção Civil, Planejamento e Orçamento de Obras, do Instituto da Construção de Ribeirão Preto, que tem como objetivo possibilitar conhecimento do dia a dia da obra aos profissionais iniciantes ou estudantes, através de um conteúdo abrangente e rápido.

“As aulas contam com uma abordagem predominantemente prática, com oficinas técnicas e canteiro de obras, além do detalhamento das ferramentas utilizadas, materiais e processos construtivos, macetes, dicas e direcionamento para acelerar o processo de aprendizado dos alunos na profissão, e, consequentemente, trazer maior segurança para os iniciantes que almejam adquirir uma oportunidade de emprego, estágio, ou que pretendem empreender no mercado da construção civil”, destaca o engenheiro civil Bruno Fernandes Ciola, diretor do Instituto da Construção.

Além de ampliar os conhecimentos do administrador de empresas, despertou nele um gosto por uma área totalmente diferente daquela que ele estava acostumado. “O curso foi muito bom e me ajudou a conseguir a vaga que eu queria na minha empresa. Agora já consigo entender e conversar com os engenheiros e outros profissionais das obras. O curso possibilitou que eu assumisse responsabilidades e no futuro pretendo me aprofundar na área”, conclui Jorge Eduardo.

Nenhuma postagem para exibir