Combustíveis devem subir até 7%, afirma entidade que reúne postos em Ribeirão

Alta será registrada nas revendedoras e deve chegar ao consumidor final, de acordo com donos de postos

Carro abastece em posto de combustíveis - Foto: PixaBay

A Central de Monitoramento do Núcleo Postos Ribeirão Preto – iniciativa que reúne 85 postos de combustíveis de Ribeirão Preto, informou, nesta terça-feira (7), que os preços devem aumentar até 7% nas revendedoras nos próximos dias. A previsão vale tanto para o etanol quanto para a gasolina e deve ser repassada ao consumidor final.

“As altas deverão ser entre 5 e 7%, valor praticado desde hoje (7) pelas distribuidoras aos postos de combustíveis. O aumento da gasolina também se deve à tensão entre Irã e Estados Unidos, já que o mercado internacional está apreensivo e o preço de distribuição da Petrobras já reflete essa situação”, afirmou a entidade, em nota.

Segundo a Central, as bolsas de valores estão registrando queda e o dólar está subindo. “Como o país islâmico é um grande produtor e exportador de petróleo, o preço do barril está aumentando”, explica Fernando Roca, membro do Grupo.

Etanol

Já o etanol, está sofrendo reajustes por causa da entressafra, pois as unidades produtoras não estão produzindo o hidratado. Segundo dados do Centro de Pesquisas Econômicas (CEPEA) da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), vinculada à Universidade de São Paulo (USP), a última alta do combustível foi de 1,46% na última semana, em comparação com o período de 23 a 27 de dezembro de 2019.

Para Roca, o impacto nas bombas será semelhante ao valor praticado pelas distribuidoras aos revendedores (donos de postos). “O novo valor deverá ser implantado com a renovação dos estoques”, finaliza.