Com vacina, comércio de Ribeirão aposta em recuperação acelerada no 1º semestre

O Índice de Confiança foi mensurado pelo Centro de Pesquisas do Varejo (CPV), recém lançado por Sincovarp e CDL Ribeirão

Imagem ilustrativa do calçadão de Ribeirão Preto na retomada do Comércio - Foto: Gleice Lira
Continua depois da publicidade

Mesmo depois de um Natal com projeção de crescimento “moderado” nas vendas, os lojistas de Ribeirão Preto e região se mostram mais otimistas em relação à 2021. É o que aponta o Índice de Confiança apurado pelo Centro de Pesquisas do Varejo (CPV), do Sindicato do Comércio Varejista (Sincovarp) e da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Ribeirão.

O CPV apresentou aos comerciantes consultados uma escala de 1 à 10, na qual 1 significa totalmente pessimista e 10 totalmente otimista com a expectativa de recuperação do setor no primeiro semestre do ano que vem. O índice médio de confiança ficou em 8,5, otimismo gerado muito por causa da chegada da vacina contra o Covid-19.

“Com a imunização, a tendência é de que o cenário socioeconômico se aproxime da normalidade promovendo recuperação de vendas, de empregos e, principalmente, de crescimento do Comércio Varejista”, analisa Diego Galli Alberto, pesquisador e coordenador do CPV.

Empregos

O CPV também consultou lojistas de Ribeirão e região sobre o emprego no Varejo, em 2020. O levantamento apontou que 42,9% das empresas demitiram no período. Outros 42,9% declararam que mantiveram o quadro de funcionários. Apenas 14,2% disseram ter contratado. Ao considerar a média geral da variação de postos de trabalho no Varejo local e regional, foi apurada uma redução de 13% ao longo desse ano.

“Constatamos que a maioria dos lojistas fez de tudo para evitar demissões. Muitos optaram pelas medidas previstas na MP 936 que estabeleceu regras trabalhistas temporárias durante a pandemia, o que se mostrou assertivo uma vez que evitou um número ainda maior de demissões. Também ficou claro que os empreendedores só estão aguardando uma melhora do cenário para começar a repor as vagas suspensas por conta da crise do Covid-19”, aponta o pesquisador.

Caged

Agora, no final de 2020, as contratações de colaboradores temporários para o Varejo reforçaram a tendência de recuperação das vagas de trabalho. Segundo números do Cadastro de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia, divulgados em 23 de dezembro, Ribeirão Preto fechou o mês de novembro com um saldo positivo de 3.143 postos de trabalho com carteira assinada.

“Se o avanço do Covid-19 continuar sob controle, a vacinação tiver realmente começado e o Comércio permanecer pelo menos na fase amarela do PlanoSP, acreditamos em um bom desempenho do Varejo no primeiro semestre de 2021. A recuperação dos empregos vai gerar aumento do consumo e assim a ‘roda da economia’ voltará a girar mais rápido e vai acelerar a retomada”, afirma Paulo César Garcia Lopes, presidente do SIncovarp e da CDL.

Nenhuma postagem para exibir