Vendedores ambulantes protestam contra ações da Fiscalização Geral de Ribeirão Preto

Segundo eles, agentes da fiscalização, com o apoio de policiais militares, teriam pedido para um vendedor abrir o porta-malas de um carro para apreender produtos que estavam guardados

Vendedores ambulantes de Ribeirão Preto protestaram na manhã desta segunda-feira (19) contra ações do Departamento de Fiscalização Geral na região central da cidade. O encontro aconteceu na porta da prefeitura, onde eles pediram pela regularização do comércio informal. O estopim para o protesto teria sido o início da Atividade Delegada, na qual o executivo municipal e a Secretária de Segurança Pública do Estado firmaram um convênio para aumentar o número de policiais militares em pontos do perímetro urbano.

Segundo o vendedor ambulante Fábio de Souza, a Atividade Delegada, que começou nesta segunda (19), atua como mais um artifício para impedir o trabalho dos camelôs. “Nós queremos trabalhar. Se a prefeitura nos regulariza, não atrapalhamos ninguém”, afirma.

Outra denúncia feita pelos ambulantes é de que agentes da fiscalização, com o apoio de policiais militares, teriam pedido para um vendedor abrir o porta-malas de um carro para apreender produtos que estavam guardados.

Um vídeo que circula nas redes sociais flagrou o momento: 

Em nota, a prefeitura informou que as reivindicações dos ambulantes foram ouvidas pelo assessor da Casa Civil, Nicanor Lopes. “A Prefeitura, por meio da Fiscalização Geral, cumpre a lei no que se refere ao comércio ambulante no centro da cidade”.

Sobre a Atividade Delegada, disse que a ação começou com 12 policiais militares que vão “potencializar a prevenção contra a prática de crimes”.