Prefeitura de Ribeirão muda período escolar de crianças e pais se dizem prejudicados

A partir do ano que vem, crianças deixarão de ser atendidas em tempo integral e serão transferidas para outras creches, onde permanecerão por meio período

Pais de alunos da educação infantil de Ribeirão Preto estão insatisfeitos com a alteração do período escolar em 2019 anunciada pela prefeitura. A partir do ano que vem, as crianças que completarem três anos deixarão de ser atendidas em tempo integral e serão transferidas para outras creches, onde permanecerão por meio período.

A medida não agradou quem precisa trabalhar e, por isso, deixa os filhos nas unidades. “Vou deixar o meu filho com quem? Se não trabalho, não consigo comprar comida”, afirma a diarista Rose Campos que se diz prejudicada.

O filho dela de dois anos frequenta a Unidade de Educação Infantil Deolinda Gasparini, na Vila Virgínia. No local, 140 alunos devem ser afetados pela mudança.

Por meio de nota, a a Secretaria Municipal de Educação informou que as crianças “estão sendo encaminhadas para dar prosseguimento aos estudos, conforme legislação vigente, em prédios próximos as residências, com a adequação física própria a idade”.

Sobre a mudança de período, disse que “segue as políticas públicas do Plano Nacional de Educação que preveem que vagas em período integral sejam disponibilizadas progressivamente na intenção de alcançar todas as etapas da educação básica, unindo esforços para priorizar crianças de 4 a 5 anos”.

Procurado para comentar o caso, o promotor de justiça do Ministério Público, Naul Felca, diz avaliar a medida como um retrocesso para a cidade. Confira a entrevista.