Gaeco acusa três pessoas de Ribeirão nas investigações da Operação Jiboia

Outras 12 na região também foram denunciadas

Três pessoas de Ribeirão Preto e outras doze da região foram denunciadas por promotores do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) na terça-feira (4) acusadas de integrar a facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital). 

Duas mulheres de Matão estão em liberdade e as demais, presas.

Todos responderão por organização criminosa armada, associação ao tráfico e cinco por sequestro e cárcere privado, conforme as investigações. 

As penas podem ultrapassar 20 anos de prisão em regime fechado, caso condenados.

Os mandados foram cumpridos em Ribeirão Preto, Jaboticabal, Matão e Cravinhos no dia 3 de maio passado, na Operação Jiboia.

No Quintino Facci ll foram apreendidos meio quilo de crack, 715 gramas de maconha e várias porções de cocaína.

O indiciado, que foi preso na operação, guardava mais de R$ 1,3 mil em notas pequenas, anotações sobre o tráfico de drogas e dois carros.

O outro preso em Ribeirão destruiu dois celulares quando percebeu a presença de policiais militares na área externa de sua residência. Ele foi denunciado por obstrução à Justiça. 

Foi apurado que um dos presos seria mandante de vários “tribunais do crime” , onde julgamentos marginais aconteciam por conta de dívidas ou atos contra o estatuto da organização criminosa.

O Ministério Público Estadual requereu que mais de R$ 113 mil apreedidos do tráfico e os cinco carros buscados sejam declarados perdidos às Justiça Pública, para que o dinheiro apurado seja utilizado no combate ao tráfico e organizações criminosas.

Nenhuma postagem para exibir