“Bombas-relógio”, diz presidente da APROFERP sobre escolas municipais

Cristiano Floriano, da Associação de Profissionais da Educação de Ribeirão Preto, não concorda com a atual política educacional de Ribeirão Preto

Desde o começo do ano, o jornalismo do Grupo Thathi acompanha a situação das escolas municipais de Ribeirão Preto. Na semana passada, o debate da estrutura desses locais foi reaceso pela morte do estudante Lucas da Costa Souza, 13, no interior do Centro Municipal de Educação Infantil (Cemei) Professor Eduardo Romualdo de Souza. Segundo o Boletim de Ocorrência, a suspeita é de que ele tenha sofrido parada cardiorrespiratória após uma descarga elétrica, ao tentar escalar um portão do local.

Nesta quinta-feira (6), a reportagem ouviu o presidente da Associação de Profissionais da Educação de Ribeirão Preto, Cristiano Floriano. Ele classificou as escolas da rede como “bombas-relógio. Confira. 

Nenhuma postagem para exibir