Vídeo | Artistas do “Beco do Batman” grafitam espaço cultural em Ribeirão Preto

A iniciativa visa um projeto de ressignificação dos espaços urbanos através da arte, com o intuito de impactar e levar reflexão para a sociedade através do grafite

grafiteiros durante a intervenção artística da sede do Instituto Nova Era - Foto: Gleice Lira
Continua depois da publicidade

Um grupo de grafiteiros realiza, nesta semana, um trabalho de grafitagem sem fins lucrativos em Ribeirão Preto. Artistas renomados do grafite paulistano, foram convidados para transformar a fachada do prédio em uma galeria de arte a céu aberto. Os trabalhos artísticos estão localizados na Rua Sete de Setembro, 777, zona central de Ribeirão Preto.

O Instituto Nova Era, um dos organizadores do evento, é uma organização sem fins lucrativos que promove diversas ações de interesse público, como o incentivo à arte urbana.

Segundo Vinicius Biagi, presidente do grupo, afirma que a intenção é fomentar a produção cultural na cidade. “Estamos transformando o espaço em um espaço cultura, de manifestação artística. A intenção é fazer uma exposição permanente para que quem passar por aqui tenha contato com a arte”, afirma Biagi. “Nossa intenção é priorizar os artistas locais”, explica.

Um desses artistas que tem uma obra no local é Daniel Medeiros, conhecido no meio artístico como “Boleta”. Seus desenhos já estamparam camisetas da Puma e até as paredes do Museu de Arte Contemporânea na Universidade de São Paulo.. “A gente já chegou a pintar em locais onde a comunidade jogava lixo. Depois do nosso trabalho, o local foi preservado pela própria comunidade”, disse.

Além de artista e autor de livro, Boleta é o precursor do graffiti psicodélico brasileiro e entre suas influências e referências estão a iconografia da tatuagem, a psicodelia dos anos 60 e 70, o misticismo e elementos da natureza.

Inspiração

Biagi afirma que o trabalho realizado em Ribeirão é uma inspiração do que foi realizado no chamado Beco do Batman, uma das principais atrações turísticas de São Paulo. O local atrai paulistanos, turistas e estrangeiros que buscam, na vida boêmia do bairro Vila Madalena, se encantar com as cores do grafite e desenhos que se estendem por pequenas ruas, onde o trânsito só é permitido para pedestres.

A iniciativa visa um projeto de ressignificação dos espaços urbanos através da arte, com o intuito de impactar e levar reflexão para a sociedade através do grafite. “As pessoas acabam descobrindo uma forma de vida”, afirma Boleta.

Texto: Gleice Lira

Nenhuma postagem para exibir