12 de junho: uma ação do comércio para melhorar as vendas no mês

    Mas no ano de 2019, com a crise econômica, a expectativa é que as vendas sejam abaixo do esperado

    Foto: Pixabay
    Continua depois da publicidade

    Boa parte do mundo comemora o Dia dos Namorados no dia 14 de fevereiro, dia de São Valentim, um bispo da Igreja Católica, foi morto em Roma por ter desobedecido o imperador realizando casamentos às escondidas. No Brasil, a data é celebrada no dia 12 de junho, desde 1948, e é estritamente comercial.

    No ano de 1948, o publicitário João Dória, pai do governador do Estado de São Paulo João Dória Jr., foi contratado por uma loja para melhorar as vendas do mês de junho da loja. O publicitário se inspirou no sucesso do Dia das Mães e instituiu um novo dia para trocar presente no ano. Dória escolheu junho pela queda de vendas e o dia 12 por ser véspera do dia de Santo Antônio, considerado como o santo casamenteiro.

    Dória lançou a campanha na cidade de São Paulo e aos poucos a data foi atingindo outras regiões no Brasil. Em pouco tempo, o país tinha aderido à campanha e a comemoração se tornou nacional.

    2019 cauteloso

    Mesmo sendo a terceira melhor data para o comércio, atrás do Natal e do Dia das Mães, o Dia dos Namorados deste ano vai ser mais econômico. Segundo o Fecomercio- SP, o movimento no comércio será fraco e sem gastos exagerados na hora da compra. Guilherme Dietze, assessor econômico da federação, conta que com o desemprego em alta e com pouca oferta de crédito, os casais devem buscar presentes que não causem impacto no orçamento.”Vai ser o dia da lembrancinha”, diz Guilherme Dietze.