Valeu o esforço ! Idosa empurrada em maca na Transamazônica está curada

Sabendo que o caso da paciente era grave, Rebeka e Wadson saíram da ambulância e empurraram a maca com a mulher

A enfermeira,hospital,motorista, a idosa na maca e a homenagem
Continua depois da publicidade

Valeu o esforço da enfermeira e do motorista que empurraram uma maca com cilindro de oxigênio na rodovia Transamazônica para levar ao hospital uma paciente com Covid-19, na sexta-feira (12), conforme foi divulgado nos principais veículos de comunição do país.

A idosa Ruth de Oliveira, de 72 anos, chegou a tempo, foi tratada, se curou e felizmente teve alta após o carnaval.

Ela foi levada para casa por Wadson Diniz, o mesmo motorista que ajudou a enfermeira Rebeka Fonseca a empurrar a maca na estrada, que estava bloqueada por carretas nas três faixas. Eles receberam uma homenagem do governo do estado do Pará pelo elogiável trabalho que fizeram.

A história

Ambulância saiu de Rurópolis para Itaituba na sexta-feira (12) e ficou presa no congestionamento de carretas no sudoeste do Pará, na rodovia BR-230, a Transamazônica.

Sabendo que o caso da paciente era grave, Rebeka e Wadson saíram da ambulância e empurraram a maca com a mulher, no trecho próximo ao porto de Miritituba.

A paciente estava sendo transferida do município para o Hospital Regional do Tapajós (HRT), que fica em Itaituba, distante 150 km.

No trajeto a pé do motorista e da enfermeira, a paciente chegou a ter uma queda de oxigênio no sangue. Ela é diabética e apresentava complicações da Covid.

Com a ajuda de outras duas pessoas, eles conseguiram levar a mulher até um hospital de referência da região e salvaram a paciente, que agora, está ao lado da família.

Homenagem

Pelo trabalho brilhante que fizeram, a enfermeira e o motorista foram homenageados pelo Estado com medalhas de “Mérito de Cavalheiro”.“Recebemos um certificado de cavalheirismo do governador”, comemorou Wadson.

Informações: sonoticiaboa.com.br

Nenhuma postagem para exibir