Mito ou verdade: Raspar a barba protege contra o coronavírus?

A discussão sobre o assunto é frequente nas rede sociais

A orientação do CDC para profissionais de Saúde é de 2017/Reprodução

Em tempos críticos de pandemia o que é mais seguro :  manter ou remover a barba e bigode ?

As orientações das autoridades de saúde para evitar o contágio pelo novo coronavírus, provocaram questionamentos sobre os próprios hábitos para tentar se prevenir. Uma das dúvidas “bombando” nas redes sociais é se o vírus pode se instalar nos pelos do rosto e cabelo. E, na incerteza, alguns resolveram tirar a barba e bigode como forma de precaução.

Mas será que isso realmente é necessário?

Higiene

Segundo médicos da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), os  homens não precisam se preocupar tanto com isso e sim, manter a higiene.

A recomendação, de fato, é para que todos os profissionais de saúde não tenham barba por causa da máscara, que, se não fixar direito, não tem o isolamento necessário.

Para a população em geral, a orientação depende de como cada pessoa se cuida, esclarecendo que não há, ainda, pesquisas oficiais que indiquem que o vírus possa instalar nesses pelos do rosto.

Informações erradas

Importante também é se atentar e não se deixar enganar por informações erradas ou mal interpretadas divulgadas na internet. Recentemente, passou a circular em redes sociais e alguns portais uma ilustração do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC) que mostrava cortes de barbas considerados adequados ou não.

A conclusão foi que o CDC estaria orientando as pessoas a rasparem a barba. A imagem, que realmente é do CDC, data, na realidade, de 2017 e trata-se de um guia voltado aos profissionais da área da saúde que usam máscaras ou respiradores para se protegerem no trabalho, sem ligação específica com o novo coronavírus.

Nenhuma postagem para exibir