Vou preso, mas ninguém vai calar a minha boca, diz empresário que denunciou Farra das Ambulâncias

Empresário fez novas acusações contra prefeito Duarte Nogueira e promete comprovar mais um esquema de fraude em contratações

João Renato Cabrera, empresário que denunciou a Farra das Ambulâncias - Foto: Redes Sociais

João Renato Cabrera é um homem de opiniões fortes. Sem papas na língua, é o responsável por denunciar o que considera um esquema de direcionamento na licitação que ficou conhecida como Farra das Ambulâncias. Mas não se dá por satisfeito e promete: ele tem muito mais a dizer, e a intenção é denunciar ainda mais irregularidades.

“Vou preso, mas ninguém vai calar a minha boca”, disse, em entrevista aos jornalistas Igor Ramos e José Fernando Chiavenato, no programa Thathi Repórter desta sexta-feira (28).

As declarações mais polêmicas são direcionadas ao prefeito Duarte Nogueira (PSDB) e ao empresário Aníbal Carneiro, justamente dois personagens envolvidos na Farra das Ambulâncias. “O Aníbal sempre disse que o Nogueirinha que era o costa quente dele. Alguns amigos já estão dispostos a confirmar isso”, disse.

Ambulâncias

Cabrera também informou que ficou indignado ao saber que Aníbal Carneiro pediu ao secretário da Saúde, Sandro Scarpelini, que autuasse a empresa Viva Mais Saúde, de Cabrera e que atua no setor de ambulâncias. A informação consta do relatório da Polícia Federal no inquérito que investigou a contratação, por R$ 1,1 milhão, da SOS Mais Ambulâncias, empresa de Carneiro, para prestar serviços para a prefeitura.

“Eu fiquei um ano e meio com a Vigilância Sanitária me impedindo de trabalhar. [A Vigilância] Fez eu comprar prédio, mudar estrutura de lugar e, no fim, não me deixaram trabalhar”, conta. “Estou sendo regido por uma quadrilha, uma facção criminosa. Fiquei sabendo que houve pedidos do Aníbal Carneiro para que o secretário da Saúde autuasse minha empresa”, disse.

O empresário afirma não ter medo de eventuais processos ou represálias. “O contrato, as irregularidades nessa contratação, o direcionamento, foi tudo provado. Esse processo foi  todinho manipulado, direcionado. Até os preços entregaram para o Aníbal”.

Eu tenho certeza que a corda vai arrebentar para o lado dos funcionários mais fracos. Eu quero é que chegue nos tubarões. Vou buscar tudo o que foi feito no passado e vou jogar quem foi blindado no meio da lama. Vou mostrar para Ribeirão Preto quem são essas pessoas.

Confira a entrevista completa:

Mais denúncia

Cabreira denunciou ainda a participação de Aníbal Carneiro em outro esquema que supostamente fraudou contratações, dessa vez no setor de rodovias. Ele tinha uma empresa de operação de guinchos e prestou serviços para o governo estadual na época em que Duarte Nogueira era secretário do governador Geraldo Alckmini (PSDB).

Carneiro, que teria intermediado a participação da empresa dele no processo, disse que iria atuar para que ele ganhasse a disputa. “Ele disse que ia conversar com o Nogueira. Não sei se conversou, ou não, mas eu ganhei a licitação E aí tinha que repassar um terço do valor pra ele, pagando os funcionários dele”, contou.

Cabrera relatou, entretanto, que nunca conversou com Nogueira sobre o assunto. “Eu ouvi isso da boca do Aníbal. Não digo que ouvi do Nogueira, porque não aconteceu. Mas o Aníbal fazia questão de dizer sobre a relação dele com o Nogueira, tem muita testemunha disso”, informou.

Outro lado

A reportagem não conseguiu contato com Aníbal Carneiro para que ele comentasse o caso. Já o prefeito Duarte Nogueira, procurado através de sua assessoria de imprensa, também não comentou o assunto.

Nenhuma postagem para exibir