Transporte Público: greve se inicia na próxima segunda, diz Sindicato dos Motoristas

A informação foi dada pelo responsável do grupo José Henrique Bueno à reportagem do Grupo Thathi, após os patrões não acatarem os pedidos dos trabalhadores

Foto: Murilo Badessa/ Arquivo

O Sindicato dos Motoristas de Ribeirão Preto decretou o início da greve do transporte coletivo para a próxima segunda-feira (12). A informação foi dada pelo responsável do grupo, José Henrique Bueno, à reportagem do Grupo Thathi, após os patrões não acatarem os pedidos dos trabalhadores.

Antes que a medida fosse tomada, foi realizada uma reunião, na tarde desta quinta-feira (8), na garagem da Rápido d’Oeste. Segundo Bueno, houve uma recusa em deixar a conversa gravada em ata.

“Eles não quiseram lavrar a ata, isso abre margem para eles contestarem o que disseram. Além disso, tentaram dar um ‘passa moleque’ na gente. Aceitaram dar o 7,59% de reajuste nos salários, mas, olha só que bonzinhos, falaram que não iam mais cortar o auxílio alimentação e nem o plano de saúde, mas não fizeram o reajuste. Por 2,49% abriram espaço para a greve já que não quiseram reajustar”, afirma.

Isso porque, uma das propostas da PróUrbano foi a redução no valor do vale-alimentação de R$ 732,00 mensais para R$ 600,00. Em contrapartida os trabalhadores queriam uma correção de 2,49% em relação ao valor atual

Em nota, o Consórcio PróUrbano, mais cedo, afirmou lamentar o fato de as negociações não terem sido bem sucedidas e que uma proposta de reajuste e manutenção de benefícios foi feita.

Mais tarde comunicaram o teor das negociações e disseram estarem abertos a negociações. “Caso o Sindicato dos motoristas decida por aceitar, estamos a disposição para fechar o acordo imediatamente”, afirmaram.

Neste dia 8, completa-se as 72h dadas pelos trabalhadores filiados ao Sindicato, ligados as empresas Rápido d’Oeste e Transcorp, após anunciarem estado de greve. O prazo começou a ser contado na última segunda-feira (5).

Na oportunidade, Bueno havia afirmado que a reivindicação financeira era antiga, mas que havia sido cessada devido à falta de pagamentos, que levou a greve de maio e teve como um dos desdobramentos a aprovação, da Câmara Municipal, do repasse de R$17 milhões ao Consórcio PróUrbano.

Após a votação positiva da medida, por 12×10 a paralização teve fim e os trabalhadores voltaram à ativa. O primeiro repasse, de R$5 milhões, foi feito em 15 de junho pelo município.

O Consórcio PróUrbano comunica que ainda mantém em pé a proposta de 7,59% no reajuste salarial,  mantendo também todos os benefícios já existentes para evitar que a população fique sem transporte. Caso o Sindicato dos motoristas decida por aceitar, estamos a disposição para fechar o acordo imediatamente.

Veja a nota completa:

O Consórcio PróUrbano comunica que ainda mantém em pé a proposta de 7,59% no reajuste salarial,  mantendo também todos os benefícios já existentes para evitar que a população fique sem transporte. Caso o Sindicato dos motoristas decida por aceitar, estamos a disposição para fechar o acordo imediatamente.

Nenhuma postagem para exibir