Scarpelini desmente Prefeitura e admite: Santa Lydia não é exclusivo para covid

Declaração foi dada em sabatina feita na Câmara; na semana passada, prefeito alertou contra efeito nocivo das fakenews

Secretário da Saúde, Sandro Scarpelini - Foto: Divulgação

“O hospital Santa Lydia não é exclusivo para o atendimento de covid-19. Em Ribeirão, nenhum é. Só o Ribeirânia”. A informação foi dada pelo secretário da Saúde de Ribeirão Preto, Sandro Scarpelini e contraria anúncio feito pelo prefeito Duarte Nogueira (PSDB), em 22 de julho. Scarpelini atribuiu a declaração de Nogueira a uma falha de interpretação.

A declaração ocorreu durante sabatina do secretário na Câmara em resposta a pergunta elaborada pelo vereador Igor Oliveira (MDB). “Nenhum hospital de Ribeirão Preto é exclusivo para o covid-19, exceto o Ribeirânia”, disse o secretário. Scarpelini foi interrompido por Oliveira. “Porque o prefeito disse isso semana passada, doutor Sandro? Sabendo do momento que está passando nossa cidade, ele anuncia isso, ou não anunciou?

Em resposta, Scarpelini atribuiu a comunicação a um erro de compreensão de Nogueira. “Tá (sic), precisa perguntar pra ele [Nogueira]. Foi uma interpretação que ele fez. (…) Eu propus que o Santa Lydia pegasse o restante dos leitos adultos, que estavam sendo utilizados para pacientes não covid, para a gente colocar paciente covid”, disse.

Ele ainda afirmou que houve falha de comunicação no caso. “O prefeito também não conhece todos os detalhes. Eu falei: prefeito, vamos transformar o Santa Lydia exclusivo para covid, para adulto. Não falei detalhes, e foi isso que ele falou”, disse.

O secretário informou, então, que alguns serviços além do atendimento ao covid continuarão a ser oferecidos no hospital. “Eu sei que lá tem o Centro de Terapia Intensiva, e eles iam ficar preservados, no andar deles. Então, é isso. A pediatria não podia abrir mão, por conta do berçário (…) que atende a região toda (…) todos os hospitais da cidade tem pessoas com câncer e tem covid”, disse o secretário.

Outro lado

Em nota, o Santa Lydia informou que “desde o início da pandemia, em março de 2020, o Hospital Santa Lydia recebe pacientes com várias enfermidades, inclusive, com covid-19. Isso vinha acontecendo como todas as outras as unidades médico-hospitalares, seja de pacientes com ou sem diagnóstico. Nem por isso, os hospitais deixaram de atender pacientes imunodeprimidos, a rigor da adoção de outras medidas de biossegurança”.

Sem dizer claramente que ainda atende pacientes acometidos de outros enfermidades além do covid-19, o hospital informou que realocou “alguns serviços (consultas de cardiologia, cirurgias eletivas, etc.), para cumprir com a nossa missão e salvar vidas neste delicado momento” e que, “com a especialização de atendimento de pacientes adultos exclusivamente com covid-19, temos ainda mais condições de reforçar e redobrar os cuidados”.

Fakenews

Na semana passada, mães de crianças e adolescentes que fazem tratamento no hospital chegaram a se manifestar, em frente ao local, pedindo que eles não fossem transferidos. A prefeitura de Ribeirão chegou a produzir, na semana passada, uma notícia, publicada em seu site oficial, na qual afirma, com todas as letras, que o atendimento será exclusivo. “O Hospital Santa Lydia passará a receber e atender exclusivamente pacientes com sintomas leves e graves do novo coronavírus (covid-19). O hospital possui estrutura com tem 40 leitos de enfermaria e 17 leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva)”, diz a matéria.

A falta de cuidado com as informações que divulga contrasta, inclusive, com vídeo divulgado pelo próprio prefeito, em suas redes sociais, na semana passada, na qual, em determinado trecho, alerta a população contra as fakenews. “Para outra doença, chamada fakenews, o remédio é enfrentá-la com a verdade, transparência e zelo. Então, nesses tempos de pandemia, previna-se também contra esse mal chamado mentira. Nós estaremos sempre do lado da verdade”, afirma Nogueira, no vídeo.

Questionada se teria algum comunicado sobre o assunto, a administração não se manifestou.