RP é primeira colocada no Estado com projeto de enfrentamento a doenças crônicas

Cidade se destacou com ações para reduzir óbitos prematuros por doenças crônicas não transmissíveis e também por queda nas taxas de mortalidade infantil e materna

Imagem ilustrativa de um bebê - Foto: Divulgação

As ações desenvolvidas pela Secretaria da Saúde de Ribeirão Preto para reduzir óbitos prematuros por doenças crônicas não transmissíveis colocaram a cidade entre as vencedoras da premiação “Cases Inovadores”, promovida pelo governo do Estado de São Paulo na manhã de sexta-feira (13). O município ficou entre os três finalistas na categoria redução das taxas de mortalidade infantil e materna.

A premiação é desenvolvida pela Secretaria de Desenvolvimento Regional do Estado de São Paulo e tem objetivo de incentivar e reconhecer iniciativas transformadoras implantadas pelos municípios em áreas prioritárias como Educação, Saúde, Segurança, Desenvolvimento Social e Desenvolvimento Econômico, contemplando 11 cidades vencedoras.

O montante dos 11 prêmios é de R$ 3,85 milhões, a serem repassados às prefeituras por meio de convênios. Os municípios responsáveis pelas práticas vencedoras receberão o prêmio, que consiste em convênios de até R$ 350 mil, firmados com a Secretaria de Desenvolvimento Regional, para realização de programas que confiram melhoria na qualidade de vida da população.

Duzentos e vinte e quatro municípios cadastraram 723 práticas na premiação. Dessas, 32 foram classificadas e oito saíram ganhadoras.

Programa de Aprimoramento Multiprofissional em Hipertensão Arterial e Diabetes Mellitus (PAMHADM)

Vencedor da premiação, o programa oferece bolsas financiadas pelo município de Ribeirão Preto, destinadas prioritariamente a profissionais da saúde, não médicos, recém-formados. Visa capacitar profissionais, por meio do treinamento em serviço sob supervisão de profissional qualificado, em instituições vinculadas ao Sistema Único de Saúde (SUS), na rede municipal de saúde de Ribeirão Preto. A coordenação é feita pela Coordenadoria de Atenção às Pessoas com Doenças Crônicas não Transmissíveis (DCNT), da Secretaria Municipal da Saúde, vinculado ao

Departamento de Planejamento em Saúde. Além de aprimorar profissionais para atuarem frente às DCNTs, o programa leva atendimento multiprofissional de alta qualidade (nutrição, psicologia, terapia ocupacional, enfermagem, farmácia e educação física) às unidades de atenção primária e também ao ambulatório

Programa Floresce uma Vida (FUV)

Pioneiro, o programa promove a identificação precoce dos neonatos em situações vulneráveis e a prevenção de doenças e condições evitáveis, o que impactou e impacta diretamente na redução da mortalidade infantil na cidade. Em 2019, a ferramenta digital SIS-Criança (Sistema de Informação em Saúde da Criança) foi implantada com o objetivo de facilitar o acesso aos dados, tanto para os profissionais da saúde que estão na assistência quanto na gestão. Em 2020, Ribeirão Preto apresentou o menor índice de mortalidade infantil da história do município, 7,2.

Nenhuma postagem para exibir