Registro de violência doméstica já pode ser feito através da internet

Apesar da mudança, denúncia não é possível nos casos de estupro e estupro de vulnerável

Foto: Murilo Badessa

A Polícia Civil do Estado de São Paulo liberou, desde ontem, quarta-feira (2), o uso da internet, por meio da Delegacia Eletrônica, para realizar o registro de violência doméstica contra a mulher ou familiares.

A ferramenta pode ser acessado por qualquer dispositivo eletrônico. Essa medida visa o atendimento sem que a vítima necessite sair de casa, respeitando o isolamento social, devido à pandemia do Covid-19 e também para não despertar qualquer tipo de suspeita por parte do agressor.

Depois da ocorrência registrada a delegacia responsável pelas investigações entrará em contato discretamente com a vítima, para saber da necessidade da realização de exames periciais e de medida protetiva. Por conta disso, a Polícia Civil recomenda que a vítima guarde as provas do crime. Podendo ser desde conversas no celular, foto dos ferimentos ou qualquer outra coisa que possa servir como prova. 

A plataforma online não permite o registro de estupro e estupro de vulnerável. O acesso deve ser feito aqui.

Nenhuma postagem para exibir