Prefeitura reforça mensagem de distanciamento social para conter avanço da Covid-19 na cidade

Alta taxa de ocupação de UTI mantém região de Ribeirão Preto na fase vermelha do Plano São Paulo

Duart Nogueira e Sandro Scarpelini durante apresentação do Boletim Epidemiológico - foto: Alexandre de Azevedo

Na tarde desta quarta-feira (29), o prefeito de Ribeirão Preto, Duarte Nogueira (PSDB), reforçou a mensagem para que a população colabore com as medidas de distanciamento social para conter o avanço da Covid-19 na cidade e, consequentemente, diminuir a alta taxa de internações que mantém o município e a região na fase vermelha do Plano São Paulo, a mais restritiva para a retomada das atividades econômicas.

“Para que possamos avançar e vencer esta etapa, precisamos da colaboração de cada cidadão. De cada um de vocês. Uma pessoa infectada que fura a quarentena pode trazer consequências desastrosas para todos. A melhor solução que temos neste momento em que não há medicamentos e nem vacina, é manter o isolamento social, usar máscaras e higienizar as mãos. São as únicas e eficazes armas que temos neste momento”, disse o chefe do Executivo.

O boletim epidemiológico do município desta quarta-feira (29) aponta 13.152 casos positivos do novo coronavírus – 390 a mais do que no último registro – e 355 óbitos da doença – um acréscimo de oito mortes.

“Sabemos que para você que tem um comércio, um salão de beleza, barbearia, academia ou um negócio que está fechado, não tem sido fácil. Entendemos as angústias, preocupações, as dificuldades financeiras. Porém, se abandonamos as medidas de contenção do vírus, entre elas o distanciamento social, o número de casos e de mortes decorrentes chegaria a níveis alarmantes, o sistema de saúde colapsaria, e não haveria atendimento nem para os casos dessa e nem de outras inúmeras doenças – gerando pânico, incerteza, e, além disso, centenas de mortes. Não há recuperação econômica possível nesse cenário”, complementou o prefeito.

O secretário da Saúde, Sandro Scarpelini, comentou a taxa de ocupação de leitos de UTI e enfermaria no município, que estão em torno 85,85% e 64,98%, respectivamente. “Já estivemos próximos da ocupação total dos leitos de terapia intensiva, mas nunca ultrapassamos esse limite. Todos que precisaram tiveram acesso. Para isso, tivemos que abrir mais leitos. Nesta última semana, foram abertos mais oito leitos no HC, oito no Santa Lydia e cinco custeados pelo SUS no Ribeirânia, o que possibilitou darmos o tratamento adequado a quem precisa. Precisamos da colaboração da população para continuar avançando nesse combate”, comentou.

“Nós iremos sair dessa vitoriosos. As vidas humanas são mais importantes neste momento. A economia iremos recuperar juntos. Estamos preparando uma cidade para atrair novos investidores quando esta crise da saúde passar. Uma cidade com infraestrutura, atrativa, para que num futuro próximo, as empresas se instalem aqui e gerem oportunidades aos nossos cidadãos. Mas, neste momento, a luta pela vida é de todos nós”, concluiu Nogueira.

Nenhuma postagem para exibir