Nogueira apresenta plano de reabertura do comércio ao governador João Doria

Dividido em quatro etapas, planejamento prevê abertura gradual a partir do dia 1° de junho; medida só vale com o aval do governador

Prefeito de Ribeirão, Duarte Nogueira participa de coletiva - Foto: Divulgação

Na manhã desta quinta-feira, dia 22, o prefeito de Ribeirão Preto, Duarte Nogueira (PSDB), apresentou ao governo estadual a proposta do plano de retomada das atividades econômicas no município. De acordo com o planejamento da administração municipal, a retomada da economia local está prevista para acontecer a partir do dia 1º de junho, desde que o governo do Estado permita.

Pela proposta, o avanço da abertura gradual, que está dividida em quatro etapas, será realizado de acordo com índices de controle que, avaliados de 14 em 14 dias, permitam que o plano de retomada continue ou uma nova quarentena seja determinada.

“O Estado nos solicitou uma proposta de retomada econômica para analisar e avaliar a viabilidade. A nossa região tem sido previdente em tomar as medidas antecipadamente, no início da pandemia, e, por isso, nos encontramos em uma situação menos desconfortável em comparação à capital. Dispomos de testes, laboratórios, leitos de UTI e leitos de enfermaria disponíveis, sem colapsar o sistema de saúde, portanto, em uma situação segura neste momento”, disse o chefe do Executivo, acompanhado do presidente do Conselho de Contingência para o Enfrentamento da covid–19, Sandro Scarpelini.

Responsável pela interlocução com a região, o secretário Estadual de Agricultura e Abastecimento, Gustavo Junqueira, informou que os dados apresentados serão analisados e encaminhados ao governador João Doria, que deverá se pronunciar nas próximas semanas para discutir o planejamento para diminuição das medidas de isolamento e início da retomada das atividades dos setores da economia. “As informações colhidas na reunião de hoje serão apresentadas ao governador no dia 25 de maio, durante a reunião do Conselho Municipalista”, informou Gustavo Junqueira.

Indicadores

A cada 14 dias, período que dura a incubação, transmissão e cura do novo coronavírus, o Comitê Técnico de Contingenciamento analisará os índices de crescimento da doença, número de contaminados, quantidade de casos de síndrome respiratória aguda grave (SRAGs), óbitos, ocupação dos leitos hospitalares, estoque de equipamentos de proteção individual (EPIs), número de testes disponíveis e rastreamento.

A partir destas informações, será feito um cálculo em que a média entre novos casos de COVID-19 e o índice de crescimento da doença nos últimos 30 dias deverá ser menor ou igual a 12% ou 15% da média dos 14 dias anteriores.

Também, nesta avaliação, a taxa de ocupação do número de leitos de UTIs reservados para o tratamento da doença deve ser de, no máximo, 60%; o número de mortes nos últimos três dias da data avaliada deve ser menor ou igual a 5% a cada um milhão de habitantes e, além disso, os estoques de EPIs e insumos básicos devem estar abastecidos para atender as unidades de saúde durante 30 dias.

Etapas

No planejamento, até o dia 31 de maio permanecem as regras dos decretos estaduais, ou seja, funcionamento dos serviços essenciais, de saúde, alimentação, abastecimento, segurança, comunicação social, drive-thru e delivery, instituições financeiras, manutenção e conserto, indústrias e serviços internos sem atendimento presencial.

Já a partir do dia 1º de junho começa a primeira etapa de retomada, que mantém os setores anteriores e inclui higiene e cuidados pessoais (clínicas de estética, clínicas de podologia, barbeiros, cabeleireiros e similares), além de oficinas de costura e lojas de aviamento e similares (para venda exclusiva de tecidos).

Na segunda etapa, planejada para o dia 15 de junho, acrescentam-se os estabelecimentos comerciais e de serviços com área de venda igual ou inferior a 800 metros quadrados, inclusive shoppings centers, obedecendo aos protocolos e regras específicas. Na terceira fase do plano, no dia 29 de junho, as escolas retornam às aulas.

Por fim, a partir do dia 13 de julho, após a avaliação dos indicadores e com todas as etapas concluídas sem prejuízo à saúde, será permitida a utilização de praças e outros locais públicos para a prática de esportes e atividades lúdicas, parques e praças, consumo local em bares, restaurantes, padarias, lojas de conveniência e supermercados, sem prejuízo dos serviços de entrega (delivery), “drive-thru” e “take out”.

Nenhuma postagem para exibir