Moradora de Pontal é transferida para São Paulo com suspeita de botulismo

Paciente de 51 anos foi transferida de helicóptero da Polícia Militar

Foto: Reprodução Google Maps

Uma mulher, 51, moradora de Cândia, distrito de Pontal, com suspeita de botulismo foi encaminhada na tarde desta quinta-feira (6), para o Hospital das Clínicas em São Paulo.

A doença é considerada grave e é causada pela bactéria Clostridium botulinum e está associada ao consumo de alimentos estragados.

A paciente, Maria Célia Mantovani, começou a passar mal no final de janeiro quando foi atendida pela Santa Casa de Pontal, e por não haver uma melhora no quadro, foi encaminhada para a Santa Casa de Sertãozinho. O marido dela contou que a mulher havia comido sardinha antes de ficar doente.

Segundo informações da família, há uma semana o estado de saúde estava piorando e por não ter conseguido vaga em hospitais de Ribeirão Preto, foi transferida de helicóptero com apoio da Polícia Militar.

A família contou também que quando Maria saiu de Pontal estava desacordada, não falava e não estava se movimentando.

Médicos infectologistas alertam para as pessoas ficarem atentas aos alimentos que possam estar estragados e que possam ser hospedeiros da bactéria que provoca a doença. O palmito mal conservado, por exemplo, pode causar problemas.

O botulismo não é contagioso, a infecção pode afetar outras pessoas de uma mesma família se elas tiverem consumido o mesmo alimento, caso contrário, não será transmitida pelo ar ou contato.

Os sintomas mais comuns do botulismo

dores de cabeça
tontura
sonolência
visão turva
diarreia, náuseas e vômitos
dificuldade para respirar
paralisia dos músculos respiratórios, braços e pernas

Nenhuma postagem para exibir