Morador de Franca assina primeiro contrato da casa própria escrito em braille do país

Moradores com deficiência visual podem solicitar o documento; cerimônia de assinatura ocorreu em Brasília

Cerimônia de assinatura do primeiro contrato em braille do Brasil - Foto: Divulgação

Clientes com deficiência visual que contratarem financiamento habitacional junto à Caixa Econômica Federal podem, desde o início deste ano, solicitar seus contratos em braille, sistema de escrita tátil utilizado por pessoas cegas ou com baixa visão. E o primeiro contrato do tipo registrado no País foi assinado em 27 de dezembro, em Brasília, pelo francano Elieser Oliveira de Souza. 

Cliente da Pacaembu Construtora, ele foi convidado para assinar seu contrato da casa própria e representar a população com deficiência visual na capital federal. Ele adquiriu um imóvel no Condomínio Jardins de Franca, que já está em obras.

“Estou assinando o contrato da minha primeira casa e fico muito feliz em fazer parte desse momento tão único e de poder representar toda a nação de pessoas com deficiência, inclusive as pessoas com deficiência visual”, disse durante a cerimônia de assinatura em Brasília.

Para Fred Escobar, Diretor Comercial da Pacaembu, a oferta de documentos em braille valoriza a inclusão social. “É um passo importante na democratização do sistema de financiamento habitacional. A Pacaembu se sente orgulhosa de ser a primeira construtora do país a concretizar a venda de um imóvel para um deficiente visual com esse novo serviço. Nossas lojas já estão prontas para receber, orientar e incluir mais clientes, como o Elieser, no sistema de financiamento imobiliário para a realização do sonho da casa própria”, ressalta.

Histórico

Aos 31 anos, Elieser trabalha no departamento administrativo de uma grande rede de lojas em Franca. Ele tinha 20 anos quando sofreu um acidente de moto que tirou totalmente sua visão do olho direito. Com o olho esquerdo, ele consegue enxergar apenas 20%, sem o campo de visão.

Casado há sete anos com Tatiana Batarra de Souza e atualmente cursando Gestão em Recursos Humanos, Elieser buscava a casa própria e escolheu o Jardins de Franca. “É o nosso sonho termos um imóvel próprio e podermos seguir com nossa vida”, conclui.