Mães entre desafios e conquistas em trabalho Home Office

As assessoras de investimentos Márcia Lira e Lara Nabut contam como conciliaram casa, filhos e profissão para crescerem na carreira na Pandemia

Foto: Divulgação

Mesmo com uma jornada tripla que envolve atividades domésticas, profissionais e cuidados na educação dos filhos, muitas mulheres conseguiram alcançar maior produtividade durante o Home Office e vão comemorar o segundo Dia das Mães em meio a pandemia da covid 19. São os casos das assessoras de investimentos Márcia Lira, que mora em Ribeirão Preto (SP) e Lara Reis Nabut, em Uberaba (MG).

Para essas duas mulheres, que atuam no mercado financeiro, o principal responsável para que elas conseguissem melhorar o desempenho profissional foi o planejamento.

Márcia, mãe de Gabriel de 4 anos, saiu da rotina do escritório para ficar em casa e assessorar os clientes à distância. “No primeiro mês foi desesperador, enquanto a bolsa de valores despencava o trabalho da casa se multiplicava, assim como o contato dos clientes preocupados com seus investimentos”, revela.

Planos

Depois do dia que caiu no choro sem saber o que fazer, mudou a forma de encarar o trabalho.  Se planejou para estar alguns períodos determinados mais presente na vida do filho, ao mesmo tempo em que nos outros períodos focava em melhorar seu desempenho profissional. Ela conseguiu. No primeiro semestre de 2020, em pleno primeiro pico da pandemia conseguiu dobrar o tamanho de sua carteira e realizar seu sonho, se tornar sócia da empresa onde trabalha.

Já Lara Nabut, de 38 anos, engravidou em plena pandemia. Uma gravidez natural não programada, depois de duas tentativas de fertilização in vitro e dois abortos. Ter um filho não estava nos planos, pois depois de quase 20 anos com emprego por CLT agora era profissional liberal, portanto sem estabilidade e sem a possibilidade de licença-maternidade.  Começando uma carreira a de assessora de investimentos, Lara, já havia alcançado muitas conquistas, além de sócia da Bluetrade, liderava uma equipe de 12 pessoas e levou um susto quando descobriu a gravidez.

O medo inicial era de ter uma gestação conturbada que a afastasse do trabalho bem no momento em que a equipe crescia e o escritório passava por reforma. “Trabalhei até a véspera do parto em fevereiro passado, tive uma gestação muito tranquila e consegui me planejar para estar inteira, tanto com a minha equipe, quanto os clientes”, explica Lara. Nesse período, ela foi reconhecida pela empresa como a profissional que mais abriu contas, recebendo, inclusive premiação pelo feito.

Menos de dois meses depois do parto Lara já estava de volta ao trabalho. O planejamento e o foco no trabalho exigem disciplina, o que para ela significa policiar os horários para dar conta de amamentar, cuidar da equipe, cuidar das carteiras dos clientes, da casa e da família.

As duas atuam na mesma empresa, a BlueTrade, são assessoras de investimentos e trocaram sólidas carreiras no setor financeiro, em grandes bancos, pelo desafio de uma profissão nova e promissora no Brasil, mas que é uma das profissões mais desejadas nos EUA. Segundo Márcia e Lara, os resultados que obtiveram, trabalhando em casa, mostra que a troca foi positiva.

Além da flexibilidade de jornada, o que é essencial para as mães, nessa profissão não há diferenças salarias entre gêneros, tudo depende da intensidade comercial e relacionamento com os clientes. Um modelo que foca em serviço de qualidade, proximidade, transparência e imparcialidade, adjetivos que são reconhecidos pelo NPS (Net Promoter Score) a satisfação do cliente, que é o mais importante. Para as duas, o ciclo profissional e pessoal atual é o de ganha-ganha, ganham os clientes que tem uma assessoria personalizada e ganha a família, que agora passa mais tempo junto.

Nenhuma postagem para exibir