Radialista recebe notificação sobre carro que vendeu em 1998 e está abandonado no Tanquinho

Veículo, um Taurus, foi abandonado no Parque Industrial Tanquinho; com medo de multa, "proprietário" procurou a Polícia Civil

Veículo abandonado no Tanquinho: dono quer se livrar da "bucha" - Foto: Acervo Pessoal
Continua depois da publicidade

O radialista André Nami recebeu uma notificação inusitada: ele foi comunicado, pela Transerp, que tem que retirar de uma rua no Parque Industrial Tranquinho um veículo que vendeu em 1998. O veículo, um Taurus, está abandonado.

Nami informou que comprou o carro no ano de 1997. “Eu tenho a propriedade de um carro que foi abandonado há não sei quanto tempo”, disse. “Eu vendi o carro em 1998 ou 1999. Eu sei até pra quem ele foi vendido, mas não tenho mais os recibos. Já faz 22 anos, né?”, conta.

Ele conta que entregou o carro em uma concessionária em uma troca de veículo e nunca mais soube dele. “Ele foi entregue numa concessionária para ser entregue. É uma situação bem pitoresca”, conta.

Confira a entrevista com André Nami

O Taurus seria só uma memória “das antigas” se uma carta, enviada pela Transerp, não tivesse chegado até a casa dos pais dele. “Fiquei sabendo que o carro está noTanquinho, na rua Inácio Salomão, e que eu tenho até o dia 21 de novembro para tirar o carro que não é meu, ou serei multado”, explica.

Preocupado com a possibilidade, ele resolveu ir à polícia para registrar um boletim de ocorrência de preservação de direito. “Não quero correr o risco”, disse. Ele informou ainda que não tem qualquer interesse em ficar com o antigo carro. “Ele está abandonado, não quero de volta não. Tem que achar o verdadeiro dono”, conta.

Análise

Procurada, a Transerp informou que envia as cartas para o endereço do proprietário do veículo, e que não tem controle sobre a transferência dos veículos.

O advogado Adhemar Padrão, especialista em direito de trânsito, acredita que a ação de Nami foi correta. “É muito importante fazer a transferência, para evitar problemas. Quando ela não é feita, a pessoa que vendeu pode inclusive receber multas. O ideal é já transferir o carro no momento da venda”, disse.

Segundo ele, o fato de o carro ser entregue a uma concessionária não altera essa necessidade. “Isso é muito comum de acontecer em garagens, mas não deveria ser o padrão”, conta.

Nenhuma postagem para exibir