Idosa de 73 anos é presa em flagrante após ofender criança com termos racistas em Ribeirão Preto

Caso aconteceu nesta quarta-feira (6), no bairro Quintino Facci II

Viatura Policia Militar
Imagem ilustrativa de uma viatura da Polícia Militar - Foto: Lúcio Mendes
Continua depois da publicidade

Uma idosa aposentada de 73 anos, que não teve a identidade divulgada, foi presa em flagrante, nesta quarta-feira (6), após ofender uma criança de oito anos, também não identificada, com termos racistas, no bairro Quintino Facci II, localizado na zona Norte de Ribeirão Preto.

Ela passou por audiência de custódia, foi liberada e responderá pelo crime em liberdade.

Segundo a mãe da criança, de 39 anos, a discussão teria começado a neta da idosa, de 7 anos, estava brincando com a filha dela, de 8, que é negra. A idosa teria chamado a criança para ir pra casa e dito que não queria que ela “ficasse brincando com essa negrinha”.

As duas mulheres são vizinhas e, de acordo com versão da família da idosa, já tinham tido desentendimentos anteriores, inclusive com ofensas verbais.

Ocorrência

Policiais militares foram acionados para atender a ocorrência e, ao chegar no endereço indicado, encontraram a vítima e a suspeita, que foi presa em flagrante pela equipe.

O caso foi registrado como injúria na Central de Polícia Judiciária (CPJ) de Ribeirão Preto. Foi arbitrada fiança no valor de R$ 3 mil, mas, como não houve pagamento, a idosa permaneceu detida e segue à disposição da Justiça. Ela passou por audiência de custódia e foi liberada.

Outro lado

O filho da idosa, que é pai da menina com quem a filha da vizinha brincava, entrou em contato com a reportagem e esclareceu que, embora saliente que o comportamento da mãe tenha sido “totalmente incorreto”, a mulher tinha problemas anteriores com a vizinha. “Ela ofendeu mesmo, não está certo, mas é um relação conturbada e ela também já foi muito ofendida”, disse o filho da idosa, que não será identificado para preservar a identidade dos envolvidos.

Ainda segundo ele, a mãe tem problemas psicológicos e faz uso de medicação controlada. “Ela não tinha tomado os remédios ainda quando aconteceu esse fato”, disse.

A mulher, segundo ele, está sob cuidados da família. “Ela foi solta na audiência de custódia. O próprio delegado disse que ela, uma mulher com a idade dela, nem deveria estar ali. Mas não tira a gravidade do que ela fez, mas não é o caso de mantê-la presa”, disse o filho.

Nenhuma postagem para exibir