Hospital Santa Tereza terá 24 leitos fechados este mês

Os pacientes permanecerão internados até receberem alta e depois os leitos fecham para reforma

Foto: Reprodução/Grupo Thathi

O Hospital Santa Tereza sofrerá uma redução de 24 leitos entre alas femininas e masculinas no tratamento de doentes mentais em surtos psicóticos. O hospital da rede estadual especializado em psiquiatria, atende toda a região de Ribeirão Preto.

O diretor regional do Sindicato dos Trabalhadores da Saúde (SindSaúde), Edson Carlos Fedelino, afirma que o fechamento é devido à falta de médicos psiquiatras. “O problema não é de hoje, já vem há muito tempo faltando profissionais da saúde no estado de São Paulo. E agora veio atingir o hospital Santa Tereza.”

A alegação da direção do hospital é que o fechamento é devido à uma reforma que terá onde estão esses pacientes. Mas de acordo com Fedelino, há outros três pavilhões fechados que poderiam sofrer essa reforma e manter os leitos. Ele diz ainda que após a reforma, não sabem se esses 24 leitos vão voltar para a ala psiquiátrica, podem ser para outras especialidades.

A mudança com o fechamento vai acontecer aos poucos, porque vai continuar o atendimento com os que já estão internados até receberem alta. 

O fechamento dos leitos pode prejudicar a população que está em filas de espera nas UBS aguardando atendimento. “Ficamos chateados com isso, porque a população sofre demais com a falta de leitos na saúde e com esse fechamento dos 24 leitos no Santa Tereza, isso vai prejudicar a população que precisa de atendimento”, disse Fedelino.

Falta de leito

Em Barrinha, a falta de leitos já é refletida no caso de Marlene Maria Trindade, 56, que aguarda vaga para transferência para atendimento psicológico no Pronto Socorro (PS). 

Segundo a filha de Marlene, a mãe aguarda uma vaga de leito há 16 dias para o transtorno bipolar e já estão ficando desesperados sem saber o que fazer. O médico psiquiatra pediu que Marlene permanecesse no PS, pois ela não poderia ficar em casa porque está saindo andando pelas ruas. “Já foi para Sertãozinho duas vezes”, disse a filha.

A filha conta ainda que no PS eles falam que quem precisa conseguir a vaga é o médico que fez o encaminhamento. E o psiquiatra diz que o PS que tem que alimentar o sistema para sair a vaga. “Já nos foi informado que não tem vaga mais no Hospital Santa Tereza”, finaliza. 

Nenhuma postagem para exibir