Funcionários do Correio em Ribeirão aderem à greve nacional da categoria

Movimento terá tempo indeterminado e luta contra privatização da estatal

Funcionários dos Correios aderiram à greve em Ribeirão Preto - Foto: Desirée Teixeira

Funcionários dos Correios em Ribeirão Preto aderiram, nesta quarta-feira (11), a um movimento de greve realizada em todo o país. O tempo de paralisação dos funcionários é indeterminado.

A Federação Interestadual dos Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadoras dos Correios (Findect) e a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect) afirmam que a greve é geral e todos os 36 sindicatos de trabalhadores dos Correios aderiram à greve.

A categoria pretende impedir a redução de benefícios e dos salários, além de ser contra a privatização da estatal, incluída em agosto no programa de privatizações do governo federal. Os trabalhadores também lutam contra a retirada de pais e mães do plano de saúde e reivindicam melhores condições de trabalho e outros benefícios, além do reajuste salarial em 0,8%.

Em nota, o sindicato da categoria informou que a mobilização é crucial para manter os serviços oferecidos pela instituição. “A decisão foi uma exigência para defender os direitos conquistados em anos de lutas, os salários, os empregos, a estatal pública e o sustento da família. A direção dos correios, a mando do governo, se negou a negociar com os trabalhadores”, diz a nota.

Outro lado

Também em nota, os Correios informaram que participaram de dez encontros na mesa de negociação com os representantes dos trabalhadores, quando foi apresentada a real situação econômica da estatal e propostas para o acordo dentro das condições possíveis, considerando o prejuízo acumulado na ordem de R$ 3 bilhões.

“O principal compromisso da direção dos Correios é conferir à sociedade uma empresa sustentável. Por isso, a estatal conta com os empregados no trabalho de recuperação financeira da empresa e no atendimento à população”, disse a empresa.