Entidades recomendam greve nos Correios para 18 de março

Na última paralisação, perto de 400 mil objetos deixaram de ser entregues pela estatal em Ribeirão

Funcionários dos Correios em Ribeirão Preto - Foto: Desirée Teixeira
Continua depois da publicidade

Os trabalhadores dos Correios devem realizar, em 18 de março, uma nova paralisação. A medida foi anunciada pela Federação dos Sindicatos dos Trabalhadores dos Correios (Findect) e a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas do Correio (Fenect), nesta terça-feira (28).

O objetivo do movimento é a atitude do vice presidente do STF, o ministro Luiz Fux, de suspender os efeitos da decisão do Tribunal Superior do Trabalho (TST).

“Diante do descumprimento do acordo coletivo e do reajuste imposto pelo STF de quase 100%, os trabalhadores dos Correios deliberaram hoje por uma greve a ser construída nacionalmente”, afirmou a Findect.

Em Ribeirão, os Correios contam com aproximadamente 500 funcionários. Na última greve da categoria, que ocorreu em 2019, os Correios estimaram que 400 mil objetos, entre cartas e encomendas, deixaram de ser entregues na cidade em dez dias de paralisação.

Paralisação

O TST decidiu em outubro que os Correios pagariam 70% do valor total do plano de saúde, enquanto titulares pagariam os 30% restantes. Tal decisão foi suspensa no mês seguinte por uma liminar do ministro Dias Toffoli, que determinou a copartição de 50% do plano de saúde.

*Colaborou Antonio Melo

Nenhuma postagem para exibir