Deu merda: empresário impedido de ir ao banheiro defeca na Câmara de Batatais

Caso ocorreu na manhã desta quarta-feira (30), quando o prédio ainda estava fechado

Revoltado e incrédulo, o presidente da Câmara de Batatais, Sebastião Santana Junior, procura explicações para o inusitado e anti-higiênico ato de insolência praticado por um indivíduo, que defecou na porta do Departamento Jurídico da Edilidade, na manhã desta quarta-feira (30), quando o prédio público ainda estava fechado.

Representando uma empresa que participaria de um certame de licitação na Câmara Municipal de Batatais, um indivíduo defecou na porta do Departamento Jurídico do Legislativo.

Policiais militares foram acionados para que a presidência da Câmara de Batatais registrasse um BO (Boletim de Ocorrência) contra homem acusado de defecar no interior do prédio legislativo.

A atitude desmesurada do homem ocorreu por volta das 8h, quando o prédio da Câmara Municipal ainda estava fechado ao público.

Agendado para o mesmo horário, estava programada uma licitação para compra de materiais de informática com a participação de 10 empresas. 

O presidente esclareceu que um dos participantes do processo licitatório se adiantou ao horário, e chegou mais cedo do que os demais concorrentes, manifestando a intenção de ir ao banheiro.

Ele acessou o interior da Câmara pela porta principal, que estava destrancada.

O representante da empresa que participaria da licitação foi abordado por um segurança do Legislativo e disse que iria usar o sanitário.

O segurança explicou para o indivíduo que não seria possível, já que as faxineiras do prédio ainda faziam a limpeza do local. O segurança indicou o banheiro de um posto logo à frente.

O homem insistiu em usar o banheiro da Câmara, iniciando um entrevero. Foi neste momento que o acusado teria gritado “bom, já que tudo aqui é uma merda mesmo, eu vou cagar aqui mesmo”. 

O homem tirou a calça em frente a porta do Departamento Jurídico, onde aconteceria a licitação, e disse para as funcionárias que já estavam no local para trabalhar que iria fazer “necessidades” e defecou ali mesmo.

O presidente da Câmara respondeu que” para seguir com a apuração estamos até agora tentando entender essa situação”.

Depois de defecar, o homem foi embora e não mais retornou para participar do certame de licitação.