Convênio entre Fundet e Justiça do Trabalho cria 60 vagas para aprendizes em Ribeirão

Serão contratados jovens a partir de 16 anos vinculados à Fundação Casa; assinatura foi realizada na manhã desta segunda-feira (16)

Reunião de anúncio da parceria do Fundet com a Prefeitura de Ribeirão - Foto: Divulgação

A Prefeitura de Ribeirão Preto firmou uma parceria com a Justiça do Trabalho que possibilitará a criação de aproximadamente 60 vagas de aprendizes para atuação no Fórum de Ribeirão Preto. A assinatura do convênio entre a Fundet e o órgão foi realizada na manhã desta segunda-feira (16), no Palácio do Rio Branco.

Estiveram presentes o prefeito Duarte Nogueira, o juiz Ricardo Braga Monte Serrat, o presidente da Fundet, Plauto Garcia Leal Filho, e Márcia Mendes, juíza titular da 5ª Vara e coordenadora do Juizado da Infância e Adolescência de Ribeirão Preto.

Com a medida, serão contratados, inicialmente, cerca de 60 jovens a partir de 16 anos de idade, vinculados à Fundação Casa, para atuarem no Fórum do município exercendo diversas atividades ligadas ao Direito. Será realizado um processo seletivo e poderão participar os jovens em liberdade assistida.

“Temos diversas histórias de jovens em situação de vulnerabilidade que passaram pelos programas da Fundet e, hoje, atuam como advogados com empregos sólidos. Esse é o diferencial que existe quando a sociedade, por meio de suas instituições, realiza ações afirmativas no sentido de mitigar as distâncias sociais, as desigualdades”, afirmou o chefe do Executivo em seu pronunciamento.

Programa

Os aprendizes selecionados serão contemplados por um curso de 17 meses ministrado pelo Senac e outro de sete meses pela Martec – Instituto de Educação e Desenvolvimento Social. Serão treinamentos de atendimento de telefone, atendimento em balcão, entrega de documento e atendimento em geral, além de atividades específicas da área de Direito para que possam compreender termos técnicos.

“O objetivo da Fundet é colocar jovens em situação de vulnerabilidade no mercado de trabalho. Estamos mexendo agora no ponto mais delicado, que é a Fundação Casa, que é exatamente o que a gente busca. Neste caso específico, é uma exigência que esses jovens venham da Fundação Casa. Temos um objetivo social e de engajamento”, disse o presidente da Fundet.

Ainda de acordo com Leal, a autorização da Justiça do Trabalho de Ribeirão Preto para que os aprendizes possam atender às autarquias e empresas de economia mista, além das secretariais municipais, permitirá a criação de mais oportunidades a jovens e crianças em situação de vulnerabilidade social. A partir de janeiro, a expectativa é que sejam abertos processos seletivos para estagiários em diversos órgãos da Prefeitura.