Com UTI lotada e fila de espera, Batatais decreta lockdown para conter avanço da pandemia

Medida passa a valer a partir da 00h01 deste sábado (15) e vai até o dia 31 de maio, podendo ser estendida

A prefeitura de Batatais decretou 15 dias de lockdown, na noite desta quinta-feiras (13), para conter o avanço da pandemia da Covid-19 na cidade. A medida passa a valer a partir da 00h01 deste sábado (15) e vai até o dia 31 de maio, podendo ser estendida. Restrição da proibição do funcionamento dos setores de comércio e serviços gerais, à proibição da venda de bebidas alcóolicas. 

Em live nas redes sociais, o prefeito de Batatais afirmou que a medida é uma tentativa para frear o avanço dos índices da Covid-19 na cidade, que já opera com 110% da capacidade na Santa Casa e já tem fila de espera para atendimento. 

“Independente do que os outros municípios vão fazer, nós vamos cuidar das pessoas da cidade. Nós vamos fazer o possível para tirar essa pressão. Nós temos um pico muito grande nesta semana e os dados demonstram que, daqui a dez dias, teremos um pico maior ainda e teremos dificuldade de cuidar das pessoas”, disse Juninho Gaspar (PP) .

Desde o início da pandemia, a cidade já soma 4,6 mil casos da doença, 62 deles confirmados nesta quinta-feira, 731 em investigação e 103 mortes.

Restrições

Durante a vigência do lockdown, os setores de comércio e serviços gerais, como salões de beleza, barbearias, academias, centros culturais, igreja e bares, estão proibidos de funcionar. A prefeitura proibiu ainda a realização de vendas pelo sistema drive thru e também a compra e venda de bebidas alcóolicas. 

A medida prevê ainda o funcionamento das redes de supermercados, mercados, mercearias, açougue, hortifrutis, restaurantes, lanchonetes, carrinhos de lanche e pet shop, além de estabelecimentos que 70% ou mais da sua área de venda ocupada por produtos essenciais. apenas no regime de delivery e com as portas fechadas.

Além disso, a prefeitura decretou ainda toque de recolher das 20h às 5h, sob multa de até um salário mínimo para aqueles que forem flagrados desrespeitando a medida. O não cumprimento do decreto, pode resultar ainda em pena por crime contra a saúde pública e contra a administração pública.

Nenhuma postagem para exibir