Após jogar água fervendo em neto, avó perde direito de ficar com as crianças em Sertãozinho

Conselho Tutelar da cidade mandou crianças para casa de parente; idosa de 62 anos responde por lesão corporal

Foto: Pixabay

A avó de 62 anos detida pela Polícia Militar após jogar água fervente nas costas do neto, de nove anos, na quinta-feira (5) em Sertãozinho, perdeu o direito de cuidar da criança e do irmão dela, de 11 anos. A decisão é do Conselho Tutelar de Sertãozinho. As crianças foram enviados para a casa de um parente materno.

O menino de 9 anos teve 23% do corpo queimado depois de desobedecer a avó.

“Estamos acompanhando o caso desde ontem e decidimos entregar essa criança, e também o irmão, para familiares da parte materna, já que todos os familiares paternos residem na mesma casa. É uma forma de precaução”, disse Rodrigo Clemente, conselheiro tutelar que cuida do caso.

Ele afirmou, ainda, que acredita ser difícil que a mulher possa voltar a ficar com as crianças. “Não acredito que seja algo possível devido ao que ela fez”, disse

Miguelina de Jesus, a avó, conta que cuidava dos dois meninos porque o filho dela, o pai das crianças, é alcoólatra e fica pouco em casa. A mãe das crianças, que segundo Miguelina é usuária de drogas, abandonou a família. Ela foi encaminhada à delegacia pela Polícia Militar, prestou depoimento e foi liberada. Segundo a Polícia Civil, ela irá responder por lesão corporal.

O caso

Miguelina fervia água para fazer café. Ela pediu que o neto fosse se banhar, mas ele teria respondido à ordem com xingamentos. “Não gosto que ele durma sujo. Na hora que ele não quis rir, me revoltei toda”, disse, na ocasião, a mulher. Ela pegou a água e jogou em direção ao neto, atingindo-o nas costas.

Ainda de acordo com a PM, uma vizinha acionou a equipe denunciando o caso. Ao chegar no local, os policias encontraram a solicitante, que afirmou o fato. “Ele passou correndo, eu joguei a água e pegou nas costas dele. Eu não achei que estava quente”, disse.

A Polícia Militar disse que a avó contou que ela cuida do menino desde pequeno, pois a mãe e o pai o abandonaram. Segundo a idosa, o neto vem tendo atitudes malcriadas e de desordem há algum tempo. “Cuido deles desde pequenos, os dois dão muito trabalho. Não é a primeira vez que eles fazem isso”, disse.

Miguelina afirma ainda que está arrependida da agressão ao neto, mas que está cansada de cuidar das crianças e da casa. “Eu sei que eles podem tirar ele de mim, estou arrependida, mas não aguento mais. Não vou esconder. Sou uma mulher bonita, trabalhadeira, que sustento minha casa com dinheiro puro”, disse.