William Bonner preso por incentivar vacinação? Justiça nega pedido

Pedido feito por advogado é rejeitado por juíza

Bonner apresentador do Jornal Nacional

Caiu como uma bomba a denúncia de Wilson Issao Koressawa, que imputava ao Editor Chefe e apresentador do Jornal Nacional, William Bonner os crimes de participação em organização criminosa (ao lado de outros profissionais da Globo), no sentido de incentivar a vacinação contra a Covid-19, ressaltando os impactos positivos da vacina no combate à pandemia.

A notícia foi dada pela jornalista Mônica Bergamo, da FolhaPress, acrescentando que a denúncia incluía ainda, sem qualquer comprovação, que o apresentador induzia o suicídio ao causar epidemia, de envenenar água potável de uso comum ou particular, substância alimentícia ou medicinal, destinada ao consumo.

O denunciante solicitava também a proibição de incentivar a vacinação obrigatória de crianças e adolescentes e a exigência de passaporte sanitário.

A juíza, Glaucia Falsarella Pereira Foley, do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos territórios rejeitou a denúncia, classificando-a como descabida, ressaltando que o Poder Judiciário não pode afagar delírios negacionistas e que o autor não tem a legitimidade de pleitear a prisão preventiva , já que os crimes apontados são de ação penal pública, cuja representação é incompatível com a vara criminal a que foi submetida. O denunciante é advogado, apresenta-se como promotor aposentado e já concorreu a Deputado Distrital, em 2002, pelo PSD. Em 2006, teve sua candidatura indeferida, quando apresentava-se como candidato do PSOL.

Nenhuma postagem para exibir