Morre garoto com doença rara, filho de acusado de desviar dinheiro de campanha para o tratamento

O caso ficou conhecido após o pai da criança ser preso acusado de desviar R$ 600 mil de campanha para tratamento do filho

Morreu nesta quinta-feira (17) o garoto João Miguel, 2, em Belo Horizonte (MG). Ele enfrentava uma atrofia muscular espinhal (AME), doença degenerativa grave. A família mora em Conselheiro Lafaiete.

O caso ficou conhecido nacionalmente após o pai dele, Mateus Henrique Leroy Alves, 37, ser preso no mês de julho deste ano por suspeita de desviar cerca de R$ 600 mil do dinheiro arrecadado em uma campanha para custear o tratamento.

Em quase um ano com a campanha no ar nas redes sociais, foi arrecadado mais de R$1 milhão. A mãe do garoto que denunciou o marido após relatar para a polícia sobre o sumiço do dinheiro.

O medicamento usado para o tratamento da AME é o Spinraza e desde junho deste ano é disponibilizado pelo Sistema Único de Saúde. João Miguel tomou apenas uma dose da medicação no dia 30 de agosto, após ser adquirida pelo governo com decisão judicial.

Investigação

O pai de João Miguel foi detido em um hotel na Bahia em julho deste ano após fugir com o dinheiro arrecadado na campanha para o tratamento do filho. O Ministério Público denunciou ele por estelionato e abandono material.

De acordo com a denúncia, Alves gastou cerca de R$ 600 mil de um total de R$ 1 milhão com corridas e shows, além de ter ficado hospedado em um hotel com vista para o mar e pode estar envolvido em esquema de agenciamento de garotas de programa, segundo uma reportagem especial do Fantástico da Rede Globo. A defesa nega que ele tenha cometido os crimes.

Nenhuma postagem para exibir