Médico que ajudou a separar siamesas em Ribeirão Preto morre de coronavírus

Ele ficou sete dias internado e não resistiu às complicações da doença

O neurocirurgião e professor norte-americano James Tait Goodrich morreu neste domingo (30), aos 73 anos. Ele estava em Nova York e foi vítima de complicações decorrentes do novo coronavírus.

A informação foi confirmada pelo Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto (HCRP), onde Goodrich esteve presente nos últimos dois anos. Ele ficou conhecido ao orientar a cirurgia que separou as duas gêmeas siamesas unidas pela cabeça, Maria Ysadora e Maria Ysabelle.

O procedimento, inédito no Brasil, foi realizado no ano de 2018 pela equipe do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (USP).

Segundo informações, o médico estava internado há sete dias e não resistiu às complicações pulmonares causadas pela Covid-19.

A página oficial do HCRP no Facebook lamenta: “É uma perda irreparável para a ciência e para a humanidade”.