Justiça condena Fernando Haddad a 4 anos de prisão por caixa dois em campanha

Petista foi candidato a presidente em 2018; da decisão, ainda cabe recurso

Candidato derrotado a presidente nas eleições de 2018, o petista Fernando Haddad foi condenado pela Justiça de São Paulo a quatro anos e seis meses de prisão em um inquérito que apura o crime de caixa dois nas eleições de 2012, quando disputou a prefeitura da capital bandeirante. Ele pode recorrer.

O processo contra o petista surgiu de uma apuração que visava identificar o uso de recursos da empreiteira UTC na confecção de material da campanha em 2012. Segundo a Folha de São Paulo, que divulgou a informação, Haddad terá que pagar ainda 18 dias-multa, cada um no valor de um salário mínimo. Na decisão, o juiz Francisco Carlos Inouye Shintate absolveu Haddad de outras acusações, como formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.

A defesa, no entanto, deve recorrer à decisão da 1ª Vara Eleitoral.  “O juiz absolveu Fernando Haddad de lavagem de dinheiro e corrupção, crimes dos quais ele não foi acusado. Condenou-o por centenas de falsidades quando a acusação mal conseguiu descreve uma. A lei estabelece que a sentença é nula quando condena o réu por crime do qual não foi acusado”, disse a defesa em nota enviada à Folha.

Na mesma ação, o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto também foi condenado a dez anos de reclusão por lavagem e ocultação de bens.