Pixabay

Esperança. Médicos da Universidade de Maryland, nos Estados Unidos conseguiram fazer, pela primeira vez na história, um transplante de coração de porco para um humano vivo.

O paciente de 57 anos, David Bennett, tem uma doença terminal e morreria sem o procedimento. Depois de diversas tentativas de tratamento, resolveu apostar suas fichas nesse método experimental.

A cirurgia durou 8 horas e o órgão veio de um animal geneticamente modificado, para não apresentar substâncias que causassem rejeição nos humanos e encaixar perfeitamente no paciente.

Nas 48h após o procedimento — consideradas as mais críticas —, o coração está trabalhando e parece normal. David continua conectado a uma máquina, mas, pelos resultados, a previsão é de que seja retirado dos aparelhos na quinta-feira.

Em 2021, mais de 41 mil pessoas receberam algum órgão transplantado nos Estados Unidos. Ainda assim, todos os dias, uma dúzia de pacientes morre na fila de transplante.

O resultado do procedimento ainda é incerto, mas pode abrir portas para facilitar, no futuro, esse tipo de transplante entre animais e humanos, diminuindo a fila de pessoas que precisam de um novo órgão.

Informações : The News