Reprodução

A Fiocruz negocia com a MSD a produção do antiviral molnupiravir produzido pela farmacêutica apontado como uma das apostas de tratamento nos primeiros dias de sintomas da Covid-19. Segundo a MSD, a pílula de uso oral reduziu em cerca de 50% o risco de hospitalização e morte para pacientes que podem desenvolver formas graves da doença.

Os resultados dos testes clínicos, divulgados no início do mês, apontam que o Molnupiravir, usado como tratamento nos primeiros cinco dias de sintomas, demonstrou redução de aproximadamente 50% do risco de hospitalização ou morte em pacientes adultos não hospitalizados com covid-19.

A intenção da Fiocruz seria de fabricar o medicamento em Farmanguinhos, uma unidade do laboratório no Rio de Janeiro.  

Novo estudo no Brasil

A Fiocruz também começou nesta semana um estudo multicêntrico internacional, de Fase 3, com o Molnupiravir. O objetivo é verificar a eficiência para evitar a propagação e transmissão da covid-19 entre pessoas expostas ao vírus. 

Para avaliar o uso de Molnupiravir como profilaxia pós-exposição (PEP), serão avaliadas pessoas que foram expostas ao vírus, ou seja, que residem com uma pessoa que testou positivo para covid-19 nas últimas 72 horas e estão sem apresentar sintomas associados à doença, além de outros critérios específicos exigidos no protocolo de pesquisa. 

O estudo ocorrerá de forma simultânea em sete centros no Brasil, localizados nos Estados do Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul, Amazonas, Rio Grande do Sul e São Paulo. 

Informações: GZH