Fabricante de cigarros eletrônicos JUUL é banida dos EUA

A marca é considerada uma das responsáveis pela epidemia no uso de vaporizadores no país

Reprodução

Nesta quinta-feira (23) a agência americana Food and Drug Administration — Anvisa dos EUA — ordenou que a fabricante de cigarros eletrônicos JUUL acabe com as vendas dos produtos nos sabores tabaco e mentol.

Queridinha dos jovens americanos, a marca é considerada uma das culpadas pela epidemia do uso de vaporizadores no país.

Segundo a agência, o benefício do JUUL como uma alternativa de menor risco aos cigarros para fumantes adultos não supera sua contribuição na febre de vaping entre adolescentes.

Investimentos na JUUL viraram fumaça.

Se a notícia é ruim para os jovens amantes de pen-drive, para a Altria é ainda pior. Fabricante da Marlboro, a empresa comprou uma participação de 35% na JUUL por US$ 12,8 bilhões. Na última avaliação, essa participação caiu para US$ 1,6 bilhão.

Aqui no Brasil, a febre também pegou. Segundo uma pesquisa realizada em 2019, cerca de 13% dos estudantes entre 13 e 15 anos já experimentaram um vape; de 16 e 17 anos o número aumenta para quase 23% — sem contar quem não diz a verdade na pesquisa.

Informações: The News

Nenhuma postagem para exibir