Doria chama Bolsonaro de ‘facínora’ e presidente rebate: ‘canalha’ e ‘moleque’

Troca de farpas ocorreu durante entrevista e em programa de televisão

Foto: Reprodução
Continua depois da publicidade

O presidente Jair Bolsonaro e o governador João Doria (PSDB) trocaram farpas, pela imprensa, na tarde desta sexta-feira (15). Enquanto o governador pediu a saída do presidente do poder e o chamou de “fascínora” durante coletiva de imprensa, Bolsonaro deu entrevista ao jornalista José Luiz Datena na Rede Bandeirantes na qual voltou a chamar o governador bandeirante de “calcinha apertada” e “canalha”.

Dória criticou Bolsonaro e afirmou que ele deveria ser retirado do poder. O governador falou sobre a questão da explosão de casos de Covid-19 no Amazonas. “Em outro país isso talvez fosse classificado como genocídio”, disse.
Doria também afirmou que Bolsonaro é um “fascínora”, “O Brasil pedindo oxigênio pra Venezuela, vacinas para índia, assistindo a Argentina, o Chile e agora a Colômbia vacinando sua população e aqui, nada”, disse o governador. “O negacionismo domina o país”.

Rebate

No programa de Datena, Bolsonaro rebatou em tom ainda mais alto, afirmando que Doria “não é homem” e chamando o governador ainda de “moleque”. “Nada contra a opção dele, mas é duro trabalhar com um cara com esse tipo de opção”, disse.

Bolsonaro também chamou Doria de “pilantra” e “canalha”. “Será que ele tem coragem moral? Porque homem ele não é, nós sabemos que esse pilantra aí não é homem. Tem coragem moral de criticar o Supremo Tribunal Federal dizendo que eu não posso interferir. Se esse moleque tem coragem moral, critica o STF”, disse. Bolsonaro ainda chamou Doria de “calcinha apertada”.

Nenhuma postagem para exibir