Dia de fúria | Prefeito dá voadora em funcionário público no interior de SP

Homem teve o braço quebrado e também lesões em duas costelas; a Polícia Civil de Sete Barras investiga o caso

A Polícia Civil de Sete Barras, região de Registro (SP), investiga a denúncia de agressão, feita por um funcionário público contra o prefeito da cidade, Dean Alves Martins (MDB), 56. O digitador Enio de Souza Junior, 42, relata ter sido alvo de uma voadora e chutes por parte do prefeito, no dia 13 de novembro, golpes que quebraram o braço e duas costelas dele. A ocorrência foi registrada como lesão corporal e injúria na Delegacia de Polícia de Sete Barras. Procurado, o chefe do Executivo não se manifestou.

Continua depois da publicidade

As agressões teriam ocorrido em 12 de novembro, por volta das 22h, segundo a versão apresentada à polícia. O servidor voltava para casa depois de ir a uma sessão da Câmara da cidade quando resolveu ir, acompanhado de um amigo, a um bar que fica nas proximidades da Câmara. No local, acabou encontrando o prefeito da cidade.

“Eu sou historiador, fui ver algumas fotos antigas em um bar de um conhecido. Quando estava lá, ele chegou e começou a me xingar, disse que eu não era homem, que eu era safado, essas coisas. Acabei indo embora para evitar brigar, mas quando estava saindo, levei uma voadora pelas costas”, disse o homem, que caiu ao chão. “Ai só senti o monte de bicudo nas costas, na cabeça, nas costelas, em todo lugar”, disse. O homem teve o braço quebrado e também lesões em duas costelas.

Junior afirmou que as agressões teriam acontecido por conta de desavenças políticas entre ele e o prefeito. “Eu sou muito crítico, até pela minha formação de historiador, e ele não aceita. Infelizmente, como já fez em muitas outras situações, com outras pessoas, levou minhas críticas como ofensa pessoal e apelou para a violência para me calar”, conta.

Procurada, a Polícia Civil de Sete Barras informou que investiga o caso.

Atendimento

Depois da agressão, Junior acabou encaminhado ao Pronto Socorro do município, onde foi atendido. Já na madrugada do dia seguinte, acabou transferido ao Hospital São João, em Registro (SP), recebendo alta hospitalar no mesmo dia.

Junior, que está em férias do trabalho na prefeitura, afirmou ainda que ficará pelo menos três meses afastado das funções para a recuperação médica. “Eu estou arrebentado, com o corpo todo doendo”, disse.

Depois de registrar o boletim, Junior foi ao Ministério Público e fez uma representação pedindo a apuração dos crimes. Como a qualificação do crime foi de lesão corporal e injúria, ele tem que declarar à Justiça que quer ver o prefeito processado para o processo seguir em frente.

Procurado, o departamento jurídico da prefeitura de Sete Barras não comentou o caso até o fechamento da matéria.